Diocese da Guarda vai ter apoio da Direcção-Geral dos Arquivos para o tratamento de documentação

A diocese da Guarda celebrou hoje de manhã um protocolo de colaboração com a Direcção-Geral do Livro dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) e o Arquivo Distrital local, para apoio técnico na área da gestão de arquivos.
O protocolo, assinado nas instalações do Arquivo Distrital da Guarda (ADGRD), tem por objectivo «a preservação, gestão, valorização e o acesso ao património arquivístico, produzido ou acumulado no sistema de arquivo da diocese da Guarda e que integra ou venha a integrar o Arquivo Diocesano».
O bispo da Guarda, Manuel Felício, considera que o apoio técnico da DGLAB é importante, uma vez que permitirá tratar a documentação existente, para que «não esteja escondida» e seja disponibilizada «às pessoas e às instituições». «A parte do espólio que nós temos tratado no Arquivo Diocesano é uma parte pequena, embora seja grande. Quando cheguei à diocese encontrei dois porões’ da Casa Episcopal carregados de documentação, desde a base até ao tecto. E essa documentação toda foi transportada para as nossas novas instalações [do Arquivo Diocesano] e, em grande medida, já está tratada», disse.
Referiu ainda que os dois funcionários da diocese que estão ao serviço do Arquivo já estão a proceder à digitalização de documentos e, posteriormente, «será equacionado o que é que é disponibilizado [ao público] e o que não é».
O prelado diocesano alertou, no entanto, para a necessidade de ser feita uma intervenção ao nível dos Arquivos Paroquiais: «Pela nossa frente temos um outro horizonte. Há 365 Arquivos Paroquiais na nossa diocese que precisam de ser tratados». Disse que alguns arquivos existentes nas paróquias deixaram-no preocupado pela forma «como estão condicionados». «E queremos avançar para isso, para que toda esta documentação não esteja aí [nos arquivos] escondida, porque a documentação não é para estar escondida, a documentação é para se conhecer, [para se] disponibilizar dentro do possível, ser gerida, para o bem das pessoas e das instituições”, justificou Manuel Felício.
O director-geral da DGLAB, Silvestre Almeida Lacerda, valorizou o protocolo hoje celebrado com a diocese da Guarda, porque vai permitir conhecer melhor o património arquivístico existente naquela instituição e para «ajudar a preservação da documentação que se encontra» à sua guarda.
O director do ADGRD, Levi Coelho, lembrou que a diocese da Guarda é «uma das instituições mais antigas» da área do distrito da Guarda e «cuja existência é indissociável de todas as comunidades da região».
O Arquivo Diocesano está instalado nas proximidades do Paço Episcopal, no antigo imóvel que foi ocupado pela Caritas Diocesana. A diocese da Guarda, com 365 paróquias, tem uma área de 6.759 quilómetros quadrados e uma população estimada em 250.000 habitantes, abrangendo paróquias dos distritos de Guarda, Castelo Branco e Coimbra.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close