Distrito da Guarda é o que regista menor quantidade de área ardida

O distrito da Guarda tem sido o menos fustigado este ano pelos incêndios florestais. Nos primeiros seis meses do ano, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) apurou que os incêndios consumiram 58 hectares de área florestal, como se pode ler no último relatório divulgado. Um valor muito inferior ao registado no distrito de Leiria, que tem sido o mais fustigado pelas chamas. Neste distrito, as contas ultrapassam os 25 mil hectares. Os 58 hectares destruídos pelos incêndios no distrito da Guarda são o resultado de 161 ocorrências. Destas só 68 foram consideradas incêndios florestais, porque a sua dimensão ultrapassou o hectare.
Na lista dos 31 grandes incêndios registados este ano até finais de Junho há só uma referência ao distrito da Guarda. Trata-se de um incêndio ocorrido em Março na freguesia de Codeceiro, concelho da Guarda. Foram consumidos 140 hectares de área florestal. Consideram-se grandes incêndios sempre que a área total afectada seja igual ou superior a 100 hectares. Até 30 de Junho de 2017 registaram-se 31 incêndios enquadrados nesta categoria que queimaram 48.700 hectares de espaços florestais, cerca de 79 por cento do total da área ardida.
Da análise por distrito destacam-se com maior número de ocorrências, e por ordem decrescente, os distritos de Porto (1.324), Braga (870) e Viseu (704). Em qualquer um dos casos as ocorrências são maioritariamente fogachos, ou seja, ocorrências de reduzida dimensão que não ultra-passam um hectare de área ardida. O distrito mais afectado, no que concerne à área ardida, foi Leiria com 25.100 hectares, cerca de 41 por cento da área total ardida até à data, seguido de Coimbra com 18.408 hectares (30 por cento do total). O distrito de Leiria registou 3 incêndios com área ardida total superior ou igual a 100 hectares, que totalizaram 24.876 hectares de área ardida e que cor-respondem a aproxi-madamente 99 por cento do total ardido no distrito. O incêndio que provocou maior área ardida no distrito de Leiria teve a sua origem freguesia de Pedrógão Grande do concelho de Pedrógão Grande e consumiu 20.072 hectares de espaços florestais (80 por cento do total ardido no distrito)
O número de ocorrências registado mensalmente mostra que os meses de Janeiro, Abril e Junho superaram os respectivos valores médios do decénio 2007-2016, conclui o relatório do ICNF. No mês de Janeiro de 2017 registaram-se quase seis vezes mais ocorrências do que a média do mês no decénio 2007-2016. Em Maio, registaram-se quase três vezes mais ocorrências do que a média do decénio. A área ardida superou os valores médios nos meses de Janeiro, Abril e Junho. O mês de Junho, em resultado dos grandes incêndios de 17 de Junho, destaca-se claramente como sendo o mês do ano em que se verificou maior área ardida. No mês de Junho de 2017 arderam cerca de 47 mil hectares de espaços florestais, o que representa aproximadamente 32 vezes mais do que a média do último decénio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close