Divergências com a direcção pode levar à saída de quase 40 operacionais dos Bombeiros de Melo

A existência de divergências entre o corpo activo e a direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Melo, no concelho de Gouveia, está a colocar em risco a operacionalidade daquela corporação. Há quase 40 elementos que querem passar à inactividade, um número que corresponde a 80 por cento do universo do corpo activo. O comandante Rui Abrantes confirmou ao TB a instabilidade na corporação, mas disse estar «a tentar tudo por tudo» para evitar o pior desfecho. O comandante, que se escusou a tecer grandes comentários sobre o assunto, manifestou-se esperançado que a questão possa ser ultrapassada em breve, estando agendada uma reunião para esta Terça-feira. Rui Abrantes disse compreender «os motivos» dos operacionais «para tomarem esta atitude», mas também confirmou que a saída destes operacionais iria comprometer a operacio-nalidade da corporação tendo em conta «a falta de pessoal» que já se faz sentir. Com a eventual saída destes elementos, o corpo activo dos Bombeiros de Melo ficaria reduzido a uma dezena de operacionais.
De acordo com o portal bombeiros.pt, o mal estar entre a direcção e os elementos que pretendem sair já se arrasta há algumas semanas, tendo sido encetadas algumas tentativas para evitar a posição radical dos bombeiros. Mas apesar das reuniões, não foi possível fazer mudar de ideias os operacionais que exigirão a demissão da direcção da Associação. O comandante Rui Abrantes adiantou ao bombeiros.pt que ainda tentou demover os operacionais da decisão de sair do corpo activo, mas os processos terão dado entrada no Centro Distrital de Operações e Socorro da Guarda e que os elementos alegam nas suas missivas os mais diversos motivos.
Tanto a Câmara Municipal de Gouveia como as freguesias incluídas na área de actuação da corporação já foram informadas da situação. O TB tentou contactar o presidente da direcção da Associação, Gaspar Rocha, mas sem sucesso.
Os Bombeiros de Melo foram fundados em 1936. De acordo com as informações disponíveis o corpo activo é actualmente composto por 84 elementos. A corporação serve cinco freguesias do concelho de Gouveia, num total de quase 15 800 habitantes.
Recorde-se que nos últimos anos têm surgido alguns casos no distrito de conflitos entre os dirigentes das Associações Humanitárias que gerem os corpos de bombeiros e os operacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close