Eleições em 1969: Troca de comunicados entre a Câmara de Seia e a CEDDG

César Augusto da Costa Tavares (advogado), João José Gomes (advogado), Luís Erse Baeta de Campos (médico) e Manuel Jorge da Fonseca Tavares Lopes (advogados) foram os candidatos efectivos da Comissão Eleitoral Democrática do Distrito da Guarda (CEDDG) às eleições de 1969 para a Assembleia Nacional. Como suplentes estavam Silvina Augusta de Almeida (advogada) e António Rabaça Pereira (mecânico electricista).
Para assinalar o cinquentenário desta efeméride, um grupo de apoiantes da Guarda à lista de candidatos às eleições de 1969 agendou para este Sábado um almoço de confraternização.
O Jornal Terras da Beira associa-se a esta efeméride divulgando documentos e contando episódios que ocorreram nessa altura.
Em Seia, «houve muita turbulência», que envolveu troca de diversos comunicados entre a Câmara Municipal e a Comissão Eleitoral Democrática do Distrito da Guarda (CEDDG), como refere José Manuel Trigo Mota da Romana no depoimento que o TB publica na edição desta semana. Em causa estavam alegadas declarações que teriam sido proferidas por João Gomes sobre a facilidade com que o então autarca colocou na cedência do Cine-Teatro para a realização de uma «sessão de propaganda eleitoral», inicialmente agendada para dia 17 mas que viria a ser alterada para dia 21. Em comunicado, o autarca, Joaquim Fernandes Ferreira Simões, refere que «no dia 17 [Outubro de 1969] começaram a correr rumores de que o presidente da Câmara teria dado todas aquelas facilidades para a realização da referida sessão, porque havia recebido ameaças da Oposição». Isto é, que caso não cedesse o espaço para o comício a Suécia deixaria de importar os tecidos produzidos pelas fábricas de Seia. O autarca considerou que essas declarações eram «de uma gravidade impressionantemente flagrante».
Em resposta, os candidatos e a CEDDG vieram desmentir «essas acusações que por si mesmas se apresentam como verdadeiramente fantasiosas e absurdas, lamentando tão ignóbeis manobras para desacreditar os nobres ideais democráticos, e afirmam ao povo de Seia que tudo farão para defesa dos seus interesses contra a mentira e a exploração». No comunicado, a CEDDG adianta que João Gomes enviou um telegrama de esclarecimento a Guilherme de Melo e Castro, presidente da Comissão Executiva da União Nacional. (pode visualizar todos documentos na página oficial do facebook do Jornal Terras da Beira)

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close