Época tauromáquica do Sabugal arranca Domingo

praça de touros do Soito recebe a 20 de Agosto o Festival “Ó Forcão Rapazes!”, um dos momentos altos da temporada tauromáquica do concelho do Sabugal, que arranca este Domingo em Quadrazais e termina a 25 de Agosto em Aldeia Velha, que envolve nove das aldeias com maior tradição na Capeia Arraiana.
Este medir de forças começou em «1986», com «a criação do concurso “Oh forcão Rapazes” entre as aldeias da raia» daquele concelho, «iniciando-se assim esta grande manifestação da Capeia Arraiana, onde a arte de bem “esperar” os touros ao Forcão vem dando origem a espectaculares capeias, numa demonstração de valentia e saber dos rapazes da raia», recorda Esteves Carreirinha no website de Aldeia da Ponte.
O concurso «nasceu inspirado na tradição antiga e única do mundo, que é a “espera” de touros com o tradicional forcão, instrumento característico da raia», tendo sido responsáveis por esta iniciativa «Associação Recreativa e Cultural dos Forcalhos e Associação dos Amigos de Aldeia da Ponte». «Aldeia do Bispo, Aldeia da Ponte, Aldeia Velha, Alfaiates, Fóios, Forcalhos, Lageosa e Soito» foram as freguesias convidadas, «sendo consideradas as fundadoras» do concurso.
«A Praça de Touros de Aldeia da Ponte, palco deste magnífico concurso, acolheu ao longo destes anos todos os apaniguados das aldeias, num espectáculo de cor, apoio e incitamento às suas equipas, tornando esta capeia num momento único, que já conquistou o seu espaço, ganhando, com todo o mérito, o seu lugar nas festividades de Verão», considera o autor do texto.
«Todos os anos, por altura de 20 de Agosto, mais dia menos dia, com a praça «a regurgitar de gente, esgotando completamente, composta por uma assistência vibrante e colorida, a rapaziada da raia demonstra a sua raça, “esperando” ao forcão, imponentes e corpulentos touros na arena, seguindo-se a sua lide, com um limite de 15 minutos para cada equipa», lê-se ainda.
«Esta soberba organização, em pleno Verão», defende, «contribui para uma divulgação da Capeia Arraiana, espectáculo único do mundo, característico da raia, que arrasta cada vez mais visitantes, anos a fio, onde a presença dos emigrantes marca um peso considerável na Praça de Touros de Aldeia da Ponte».
Esteves Carreirinha termina esta «primeira introdução à génese do Concurso» destacando o facto desta ter sofrido «algumas alterações ao longo dos anos», «sendo denominado actual-mente Festival “Ó Forcão Rapazes”».
A organização e responsabilidade deste evento é de todas as povoações participantes, sendo que, cada ano, a organização directa do festival recai em duas delas, num sistema de rotação entre as mesmas: Soito e Aldeia da Ponte.
A capeia «é a expressão mais enraizada da nossa cultura e que dá aos raianos um forte sentido de pertença, um orgulho ímpar e um sentido de comunidade», considera o presidente da câmara do Sabugal, António Robalo, no folheto que anuncia o calendário tauromáquico deste ano. «A poeira que se cola ao suor nas correrias dos encerros, a adrenalina na espera do “boi da prova”, a capeia e o desencerro dão, no mês de Agosto – aos que cá residem, à diáspora que se junta a nós nessa altura e aos visitantes – uma intensa alegria, muita ansiedade, muita paixão, muitos nervos à flor da pele, emoções e sentimentos que se repetem ano após ano», escreve o autarca.
Esta manifestação tauromáquica é «específica das comunidades de 11 freguesias do concelho do Sabugal, caracterizada pelo facto de a lide do touro bravo ser realizada com o auxílio do forcão, estrutura triangular de madeira suportada pelo grupo de homens que enfrenta as investidas do touro», descreve o comunicado que anunciou o seu registo no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, em Novembro de 2011. Foi «a primeira manifestação cultural» registada naquele inventário, «resultante do pedido de inventariação elaborado pela Câmara do Sabugal» e que mereceu o parecer favorável da Comissão para o Património Cultural Imaterial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close