Escola Velha Teatro de Gouveia propõe rede como solução para ultrapassar dificuldades

Criar uma rede «unificadora e construtiva, orientada para o bem e para o crescimento de todos os que a integrem» é o que propõe o Escola Velha Teatro de Gouveia para ultrapassar as dificuldades que a pandemia causou ao sector da cultura.

«Basicamente a ideia é que criando uma bolsa de espectáculos, seja na área do teatro, da música, e outros, depois possamos, com a colaboração das câmaras [municipais], da CIM [Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela], do Inatel e da delegação [Direcção Regional] da Cultura [do Centro], criar uma rede onde estes grupos possam ir actuar» resume o presidente da direcção.

«Até vou mais longe: pode ser a um preço mais simbólico do que tem sido os cachets que os grupos possam levar», sugere Carlos Bernardo, sublinhando que o importante é «voltarmos à actividade o mais rapidamente possível para colmatar toda esta perda que foi e está a ser este último ano».

O desafio foi colocado a «várias» entidades através de uma carta aberta, com o título “A Cultura Chora”, disponível nas redes sociais e na página electrónica da companhia gouveense, há pouco mais de uma semana e já há reacções. «Nós já recebemos aqui um ou outro contacto», revela o dirigente, nomeadamente da Direcção Regional da Cultura do Centro, que enviou «alguma informação de alguns apoios que estão a decorrer». (Notícia completa na edição em papel)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close