Escolas vão ter “campanha permanente de testes antigénio”

As escolas vão ter uma “campanha permanente” de testes antigénio para despistar casos de infecção de covid-19, anunciou Quarta-feira o primeiro-ministro.

“Um dos factores que melhor nos tem permitido controlar a gestão da pandemia é termos adoptado uma política de testagem massiva: testagem, testagem, testagem. Relativamente às escolas vamos acompanhar o funcionamento das escolas com uma campanha de testes antigénio de forma a podermos ir detectando casos não detectados de eventuais contaminados”, disse António Costa.

O anúncio foi feito no final da reunião de Conselho de Ministros, na qual ficou decidido que as aulas presenciais iriam continuar em todos os níveis de ensino.

O primeiro-ministro prometeu que os estabelecimentos de ensino iriam estar abertos “com as cautelas que tornaram a escola segura”.

Segundo António Costa, o processo de campanha de testagem está neste momento a ser articulado entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação.

A ideia é ter “uma campanha permanente de testes antigénio no sistema educativo de forma a despistar qualquer cadeia de transmissão que possa existir”, explicou.

A realização de testes de despistagem é uma das exigências que tem sido reivindicada por sindicatos de professores e directores escolares. Professores e funcionários escolares têm também pedido para fazer parte dos grupos prioritários de vacinação contra a covid-19.

Questionado sobre essa hipótese, o primeiro-ministro remeteu para o grupo técnico que define as prioridades de vacinação contra a covid-19 a hipótese de puderem passar a integrar um dos grupos prioritários.

 “O critério de vacinação é definido por um grupo técnico e dirá o que terá a dizer sobre essa matéria”, afirmou.

A pergunta surgiu depois de o primeiro-ministro anunciar que as escolas de todos os ciclos de ensino vão manter-se abertas “em pleno funcionamento” durante o novo Estado de Emergência.

Sobre a possibilidade de ter de se alterar a medida de manter abertos todos os ciclos de ensino caso haja um agravamento da situação epidemiológica, António Costa optou por salientar como “o primeiro período [de aulas] correu muito bem” em termos de surtos.

“Verificámos ao longo de todo o primeiro período que o número de surtos foi diminuto e mesmo o número de casos reportados num universo escolar que envolve cerca de 1 milhão e 200 mil pessoas [ensino obrigatório] não teve um peso significativo”, disse, sublinhando que “a escola é um local seguro e essencial ao processo da aprendizagem”.

Considerando que “o primeiro período correu muito bem, não há nenhuma evidência que corra mal”.

O primeiro-ministro reconheceu “todo o esforço extraordinário que os professores fizeram” desde Março, quando o ensino presencial foi substituído pelo ensino à distância, mas lembrou que o fecho das escolas representou “um custo para as crianças”.

“Não podemos sacrificar mais uma vez uma geração que é a que nos dará continuidade. Sacrificar de novo mais um ano lectivo seria altamente prejudicial e por isso vamos manter as escolas abertas em todos os seus escalões, desde o pré-escolar até ao ensino pós-universitário”, disse.

António Costa explicou que a medida se prende com “a necessidade de não voltar a sacrificar a actual geração de estudantes”.

Já na Terça-feira, o ministro da Educação tinha defendido, no parlamento, a manutenção das aulas presenciais, lembrando que o ensino à distância prejudica as aprendizagens dos alunos, em especial os mais carenciados.

António Costa reconheceu que o “tema divide a comunidade científica, mas une a comunidade educativa”, referindo-se aos representantes dos pais e encarregados de educação assim como dos directores escolares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close