Espanha vai prolongar estado de emergência mais um mês

O Governo de Espanha vai prolongar o estado de emergência no país durante “cerca de um mês”

O primeiro-ministro de Espanha, Pedro Sanchez, anunciou hoje que vai prolongar o estado de emergência no país durante “cerca de um mês”, para que esteja activo até ao final da última etapa do desconfinamento.

«Este deverá ser o último estado de emergência e estará activo até ao final do desconfinamento», que deve durar até fim de Junho, afirmou durante um discurso transmitido na televisão.

O estado de emergência em Espanha já foi prolongado quatro vezes, sendo que o atual deveria terminar em 24 de maio.

Decretado em 14 de Março, esta excepção à normalidade permitiu ao Governo recuperar o controlo de poderes num país altamente descentralizado e limitar a circulação de pessoas, tendo sido considerado um dos mais rigorosos confinamentos do mundo.

Esta quinta extensão do prazo terá de ser aprovada pelo congresso dos deputados, onde o partido do Governo está em minoria e onde a oposição de direita recusou votar o prolongamento anterior.

A Espanha, um dos países mais afectados pela pandemia da Covid-19 no mundo, com mais de 27.000 mortes, lançou na segunda-feira passada o levantamento progressivo das restrições associadas ao coronavírus em metade do país.

Com o acordo dado pelo Governo para aliviar as restrições em novas províncias na próxima segunda-feira, cerca de 70% dos espanhóis terão iniciado o desconfinamento na próxima semana.

A primeira fase do processo prevê, em particular, a reabertura das esplanadas de bares e restaurantes, bem como a autorização de reuniões familiares ou de amigos até 10 pessoas.

A região de Madrid, assim como grande parte da região de Castela e Leão e a cidade de Barcelona vão ser mantidas sob confinamento, embora mais flexível, podendo as pequenas lojas e serviços de comércio começar a retomar a actividade.

Sanchez voltou a pedir aos espanhóis que encarem o desconfinamento «com a maior cautela», sublinhando que «o risco ainda existe» e que «o vírus não se foi embora, [pelo que] a sua ameaça é real».

Segundo o relatório do Ministério espanhol da Saúde, hoje publicado, o país registou 102 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o número mais baixo dos últimos dois meses, mas que eleva o total de vítimas mortais para 27.563.

Foram registados 539 novos casos de infectados pelo novo coronavírus, um número bastante próximo do contabilizado na sexta-feira (549 casos).

Desde que foi detectada na China, em Dezembro passado, a pandemia da Covid-19 já provocou mais de 304 mil mortos e infectou perto de 4,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço da agência de notícias AFPD

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close