Estabelecimento Prisional da Guarda elabora Manual do Recluso

O Estabelecimento Prisional da Guarda (EPR) elaborou um “Manual do Recluso” no âmbito de uma parceria com o Centro de Respostas Integradas (CRI) da Guarda e com a Associação Piaget para o Desenvolvimento. O livro, aprovado pela Direcção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, foi apresentado na passada Quinta-feira à tarde, durante o seminário “Participação Participada”, que decorreu no auditório Municipal da Guarda.
«O “Manual do Recluso” é uma das peças que resulta desta parceria. Foi construído por estes três parceiros. Depois de quatro anos de trabalho construiu-se um documento que pode ser um documento que vem a ter linhas orientadoras em termos de intervenção junto da população prisional», afirmou Luís Couto, director do EPR da Guarda. «Este manual servirá como linha orientadora de intervenção e poderá servir para todos os estabelecimentos prisionais», admitiu o responsável, referindo que para o EPR da Guarda é «uma satisfação» poder «contribuir para uma melhor intervenção» junto da comunidade reclusa.
Segundo o responsável, que falava à Lusa margem dos trabalhos do encontro, o “Manual do Recluso”, com 60 páginas, totalmente a cores, contém conselhos práticos sobre saúde, emprego e vida em sociedade. O livro resulta do trabalho desenvolvido no âmbito do Projecto de Prevenção no EPR da Guarda, entre 2008 e 2010, promovido pela Associação Piaget para o Desenvolvimento eco-financiado pelo então Instituto da Droga e da Toxicodependência,actual Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD).
Sobre o seminário “Prisão Participada”, Luís Couto explicou que também marca o culminar de um projecto desenvolvido, durante quatro anos, em parceria com o CRI da Guarda e com a Associação Piaget para o Desenvolvimento. «O grande objectivo deste protejo era a prevenção e a reinserção dos jovens e dos adultos que estão a cumprir connosco a medida privativa de liberdade no sentido de desenvolvermos nesses homens e mulheres competências para que no futuro voltem à sociedade sem cometer crimes», explicou.
Acrescentou que no EPR da Guarda, actualmente com 211 reclusos, foi desenvolvida «uma série de programas com vista à não reincidência e este seminário é o avaliar deste programa e o pôr em cima da mesa novos programas de desenvolvimento com vista à reinserção social da população reclusa».
Durante os trabalhos foram abordados temas como “Prisão Participada – O Envolvimento dos Diversos Actores no Contexto Prisional”, “Recomendações internacionais para a melhoria das condições de saúde em contexto prisional!, “Quando a Saúde Chega à Prisão: Abordagens Interventivas em Contexto Prisional” e “A Saúde Enquanto Motor de Reinserção”.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close