Este nosso tempo

Albert Einstein dizia que o tempo era uma ilusão. Ainda assim, se colocadas as explicações físicas por ora de parte, é inegável que o “tempo” faz parte do vocabulário político.

Ainda recentemente, Carlos Moedas defendeu “Novos Tempos” em Lisboa, tendo alcançado uma vitória autárquica tida inicialmente como improvável.

Por cá, houve também tempo para muitas coisas.

Primeiro, houve tempo para uma fantástica notícia. Conforme noticiado pelo jornal nacional digital dedicado à Economia ECO, o Laboratório Colaborativo em Logística (CoLAB LogIN), obteve um financiamento de 1,3 milhões de euros por parte da Fundação para a Ciência e Tecnologia, em virtude da terceira posição que a sua candidatura alcançou entre dezanove concorrentes. A mesma peça jornalística cita ainda o líder do júri interncional, Wolfgang Wahlster, destacando-se que “elogiou a visão estratégica da proposta que considerou “excelente” pelo seu “foco no software e nas economias de plataforma no setor da logística””.1

Este projeto resulta de uma parceria entre organizações públicas e privadas, nomeadamente o Município da Guarda2, e deve ser motivo de enorme congratulação, como aliás o foi na Assembleia Municipal de 27 de abril. Para além disso, pode ser também entendido como um tónico de auto-estima e reconhecimento de valor, sobretudo após as desprestigiantes considerações tecidas à Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura, tema que procurarei abordar futuramente neste espaço. Finalmente, para além do mérito do projeto, há que salientar a sua relação com as necessidades que o Porto Seco na Guarda exigirá, o que reforça a oportunidade e relevância do mesmo.

Também na mesma Assembleia foi definido um tempo – o fim do ano – para que seja dado o pontapé de saída por parte do Governo (e esperemos que, desta vez, certeiro e não em falso) para a resolução do abandono a que está votado do Hotel Turismo, ícone da cidade sem vida. Se tal não suceder, conforme a moção apresentada e aprovada, deve o edifício ser devolvido à Câmara Municipal, para que a mesma procure soluções.

Mas, para a própria Câmara Municipal, estão lançadas as bases para um tempo novo. Unanimemente, foi aprovada a nova estrutura orgânica. Com esta reestruturação espera-se que haja a breve e médio prazo uma resposta mais ágil dos serviços, dado que se apurou um número estratosférico de quase quarenta e cinco mil processos pendentes. Para além disso, espera-se ainda que esta nova orgânica se revele frutífera e seja a alavanca que potencie uma ação do Município mais efetiva e visível junto da população e em todo o concelho, após meses de trabalho árduo de planeamento e organização.

1 https://eco.sapo.pt/2022/04/21/laboratorio-colaborativo-em-logistica-no-politecnico-da-guarda-obtem-13-milhoes-da-fct/

2 https://maisbeiras.sapo.pt/municipio-da-guarda-satisfeito-com-resultado-da-guarda-colab-login-esta-na-lista-provisoria-da-fundacao-para-a-ciencia-e-tecnologia

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close