Estudo para instalação da radioterapia em Viseu foi submetido ao Governo

O Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV) anunciou que já foi submetido ao secretário de Estado da Saúde o estudo relativo à instalação do serviço de radioterapia em Viseu, que propõe uma «parceria inovadora» com o IPO de Coimbra. «Este estudo apresenta uma posição conjunta inédita entre o CHTV, o IPO de Coimbra, a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) e a Administração Regional de Saúde do Centro, sustentando a viabilidade técnica, económica e financeira de um centro oncológico em Viseu», refere Ermida Rebelo num comunicado divulgado ao final da tarde de Domingo de Páscoa, que foi o seu último dia como presidente do conselho de administração do centro hospitalar. O CHTV é, desde Segunda-feira, presidido pelo médico Cílio Correia.
No comunicado, Ermida Rebelo refere que o estudo, que estava previsto no despacho n.º 1990-A/2017, foi submetido ao secretário de Estado da Saúde ao final da tarde de Quinta-feira. A parceria entre o CHTV e o IPO de Coimbra abrangeria «o planeamento e instalação da unidade, a formação de recursos humanos altamente diferenciados, a aquisição conjunta de aceleradores lineares para ambos os hospitais, a partilha de sistemas de informação em rede, a uniformização de práticas clínicas e complementaridade e apoio nos tratamentos», explica.
Desta forma, seria possível «tirar partido da capacidade instalada e favorecer sinergias que potenciam retornos favoráveis, a bem dos doentes de toda a região centro», acrescenta.
Segundo Ermida Rebelo, a solução proposta ao Governo sustenta-se «no actual modelo de financiamento da radioterapia nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde e permitirá criar um novo edifício no campus do CHTV». Esse novo edifício albergaria, «além da radioterapia, também os tratamentos oncológicos por quimioterapia, deixando já preparada a infraestrutura para um futuro serviço de medicina nuclear», avança.
A 29 de Novembro, o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, disse aos jornalistas que o serviço de radioterapia deverá ser criado no prazo de «dois/três anos» no hospital de S. Teotónio, em Viseu. Nesse dia, Manuel Delgado garantiu que, «do ponto de vista político», a decisão de instalar o serviço de radioterapia na cidade estava tomada, mas faltava »ver qual é o melhor modelo».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close