Excelência Clínica para o hospital da Guarda com destaque para a Ginecologia

SONY DSC

A Entidade Reguladora da Saúde atribuiu excelência clínica ao hospital da Guarda na primeira avaliação deste ano, concluindo que em 8 das 16 especialidades avalia-das a instituição cumpre os critérios de qualidade. Melhor desempenho tive-ram os hospitais vizinhos com o hospital de Viseu a conseguir excelência clínica em 14 especia-lidades, o da Covilhã em 13 e o de Castelo Branco em 12. A Ginecologia do hospital da Guarda continua a destacar-se obtendo a classificação máxima.

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) divulgou a semana passada os resultados da primeira avaliação deste ano realizada no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), na dimensão Excelência Clínica. Os resultados publicados indicam que o hospital da Guarda obteve excelência clínica, ao cumprir os parâmetros de qualidade exigidos em 8 das especialidades avaliadas. Nesta avaliação, a Ginecologia continua a destacar-se obtendo mais uma vez a classificação máxima ( nível de qualidade +++). A avaliação foi feita no âmbito das histerectomias tendo em conta a selecção e a administração atempada do antibiótico (profilaxia de infeção) em “doentes-padrão” submetidas a este tipo de intervenção. Avalia-se a também correcta prescrição e a administração atempada da prevenção do tromboembolismo venoso (TEV) nestes doentes. Dos cinco indicadores avaliados, o serviço do hospital da Guarda teve nota máxima em três. Desde 2013 que este serviço tem obtido nota máxima no SINAS.
A Cirurgia de Ambulatório, a Pediatria, a Obstetrícia e a Ortopedia no tratamento cirurgico da fractura próxima do femur receberam nota intermédia (ível de qualidade ++). A nota mais baixa foi a de Cardiologia no tratamento do enfarte do miocárdio. Aqui avalia-se os cuidados prestados no momento inicial do internamento aos “doentes-padrão” com diagnóstico de Enfarte Agudo do Miocárdio, bem como a prescrição de terapêutica adequada no momento da alta. Avalia-se o risco da mortalidade intra-hospitalar associada ao diagnóstico de Enfarte Agudo do Miocárdio, ajustada às características específicas de cada doente.
O hospital de Seia também manteve o desempenho ao nível da Cirurgia de Ambulatório, obtendo mais uma vez a nota máxima. Nesta área procede-se à avaliação do cumprimento de procedimentos da Cirurgia em Ambulatório – que garantam a qualidade e segurança de intervenções cirúrgicas com tempo de estadia no hospital inferior a 24 horas – relativamente a “doentes-padrão”. Foi a única área clínica avaliada nesta unidade de saúde.

Hospitais vizinhos
na lista dos 10 melhores
O Hospital Eduardo Santos Silva, em Vila Nova de Gaia, foi o único que conseguiu excelência clínica em todas as 16 especialidades avaliadas. Em 2015 a instituição tinha obtido excelência em 14 especialidades. Na lista dos 10 hospitais com melhores resultados está o hospital de Viseu com excelência clínica em 14 especialidades, o hospital da Covilhã com 13 e o hospital Amato Lusitano de Castelo Branco com 12.
Os resultados agora publicados são relativos a procedimentos e/ou diagnósticos no contexto das áreas de Angiologia e Cirurgia Vascular (Cirurgia de Revascularização Arterial), Cardiologia (Enfarte Agudo do Miocárdio), Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia Cardíaca (Cirurgia Valvular e outra Cirurgia Cardíaca não Coronária e Cirurgia de Revascularização do Miocárdio), Cirurgia Geral (Cirurgia do Cólon), Cuidados Intensivos (Unidade de Cuidados Intensivos), Cuidados Transversais (Avaliação da Dor Aguda e Tromboembolismo Venoso no Internamento), Ginecologia (Histerectomias), Neurologia (Acidente Vascular Cerebral), Obstetrícia (Partos e Cuidados Pré-Natais), Ortopedia (Artroplastias da Anca e Joelho e correção cirúrgica de fraturas proximais do fémur) e Pediatria (Pneumonia e Cuidados Neonatais), decorrentes da submissão de episódios de internamento com alta entre 1 de Julho de 2014 a 30 de Junho de 2015.
A avaliação e a classificação efectuadas pelo SINAS processam-se em dois níveis. No primeiro, confirma-se o cumprimento dos critérios que a ERS considera essenciais para a prestação de cuidados de saúde com qualidade. A validação desse cumprimento, demonstrada pela atribuição de uma estrela, permite aos prestadores o acesso ao segundo nível de avaliação, no qual se processa o rating. Dos 160 estabelecimentos actualmente abrangidos na avaliação do SINAS – que representam praticamente todo o universo de prestadores com estas características -, 127 obtiveram classificação nesta dimensão, dos quais 106 conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.
Quanto ao segundo nível de avaliação, verificou-se um aumento do número de prestadores que obtiveram um rating nível de qualidade III, nas áreas de Obstetrícia (de 40% para 45%) e Unidade de Cuidados Intensivos (de 28% para 40%), relativamente à última avaliação efetuada referente a 2015 e publicada em Fevereiro de 2016. As restantes dimensões – Procedimentos de Segurança, Adequação e Conforto das Instalações -, Focalização no Utente e Satisfação do Utente serão objecto de actualização de resultados no último trimestre de 2016.

 

Elisabete Gonçalves
elisagoncalves.terrasdabeira@gmpress.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close