Feira de S. João da Guarda decorre este ano no espaço da feira quinzenal

A feira anual de S. João, na próxima Quarta-feira, regressa este ano ao espaço da feira quinzenal, na encosta junto ao Hotel Vanguarda. Inicialmente estava previsto continuar a realizar-se no centro da cidade mas, por haver dificuldades em fazer cumprir as regras decorrentes da pandemia, a autarquia entendeu alterar a decisão.

Quanto aos “mercados” que se realizavam ao domingo o mais provável é que tenham lugar no recinto da feira, na encosta próxima do hotel, que está previsto ser requalificado. Como o TB noticiou anteriormente, o presidente da Câmara da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, disse ao TB que ainda não está concluído o projecto mas já foi adiantando que o que se pretende com a requalificação é que aquela zona possa ser usufruída por todos ao fim-de-semana e não apenas em dias de feira. O estudo, que está a ser elaborado por um arquitecto da autarquia, deverá contemplar árvores, algum mobiliário urbano (incluindo casas de banho), uma ciclovia e uma escadaria de acesso à Avenida.

Recorde-se que a feira passou a realizar-se uma vez por mês no centro da cidade em Dezembro de 2018. Foi uma das marcas do anterior presidente da Câmara, Álvaro Amaro, mas a ideia nunca foi consensual. O autarca entendia que a feira poderia ajudar a dar vida à Guarda ao fim-de-semana. Os condicionamentos do trânsito e de estacionamento, os danos provocados na via pública pela instalação das tendas, as dificuldades de acesso aos prédios têm sido algumas das críticas apontadas.

>Fundação da Feira de S. João

«Segundo Gama Barros, a Feira de S. João da Guarda foi criada por carta régia, em 25 de Março de 1255, por D. Afonso III. Antes dela, na Beira, só em Vila Mendo, no reinado de D. Sancho II, em 1229, existiam feiras anuais – “feyre generale” – e três vezes por ano, pela Páscoa, pelo S. João e pelo S. Miguel,. Por esta razão, Virgínia Rau defende que muitas feiras que se seguem, são do mesmo tipo das de Vila Mendo. O caso da Guarda é exemplo.

A Feira de S. João da Guarda é das mais antigas da nossa região. Depois vêm outras: Covilhã (1260), Penamacor (1262), Trancoso (1273), Celorico (1292) e Sabugal (1296). A cidade da Guarda apresentava-se, sob várias facetas, importante. Era a sua posição estratégica, relativamente às incursões a sul e a leste e a sua sede de bispado. O relevo político e religioso que assumiu com o seu fundador. D. Sancho I, ao conceder-lhe Foral, é significativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close