Filme “Douce France”, de Geoffrey Couanon, vence 27.º festival CineEco de Seia

O filme “Douce France”, de Geoffrey Couanon (França), é o vencedor do 27.º CineEco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que terminou, Sábado, em Seia. A obra cinematográfica “Douce France” arrecadou o Grande Prémio Ambiente – Câmara Municipal de Seia, anunciou a organização do CineEco em comunicado. A obra de Geoffrey Couanon, segundo a organização, «retrata a aventura ecológica e social de um grupo de jovens estudantes sobre o polémico projecto de construção de um complexo comercial – EuropaCity – na sua terra natal».

O Prémio Antropologia Ambiental – Zurich Seguros foi para “Arica”, de Lars Edman e William Johansson Kalén, e a menção honrosa longa-metragem internacional foi conquistada por Svetlana Rodina, com “Ostrov – Lost Island”.

Na competição internacional de curtas-metragens “Flight to Earth”, de Ignacio Rodó, conseguiu o Prémio Curta-Metragem Internacional – Turistrela, enquanto o Prémio Educação Ambiental – Associação Mares Navegados foi para o filme de animação “#fishingtheplastic”, da autoria de Marina Lobo.

Na competição de séries e reportagens televisivas, o Prémio Televisão foi atribuído ao documentário francês “Vert de Rage, du charbon dans les poumons (Green Warriors: Coal in the Lugs)”, de Martin Boudot.

Na competição de filmes e documentários em Língua Portuguesa, o Prémio Camacho Costa – Lipor, na categoria longa-metragem contemplou Márcia Paraíso e Francisco Colombo com o documentário “Sobre Sonhos e liberdade”. O Prémio Curta-Metragem em Língua Portuguesa foi conquistado por Bruno Lourenço com “Oso”.

O jovem de Seia Gabriel Ambrósio conquistou o Prémio Panorama Regional – Casa da Passarella com a curta-metragem “Um Quadro de História” e o Prémio Valor da Água – Águas do Vale do Tejo distinguiu “Living Water” de Pavel Borecký.

O júri da juventude atribuiu, entre outros, os galardões: Prémio Juventude Longa-Metragem a “Ophir” (de Alexandre Berman e Olivier Pollet) e menções honrosas a “Douce France” (de Geoffrey Couanon) e a “Arica” (de Lars Edman e William Johansson Kalén).

Portugal, França e Espanha foram os países com maior representação cinematográfica na competição oficial da 27.ª edição do CineEco que decorreu na Casa Municipal da Cultura de Seia, entre 9 e 16 de Outubro. Este ano, o mais antigo festival de cinema ambiental do mundo recebeu 93 filmes de mais de 20 países.

De acordo com a organização, foi uma edição «marcada pelo regresso do público às salas de cinema, com todas as sessões praticamente esgotadas ainda que tivessem sido salvaguardadas todas as regras de segurança e higiene recomendadas pela Direcção-Geral de Saúde».

«A partir de Seia, cidade pequena do Interior de Portugal, continuamos a construir um festival para todos e a apostar cada vez mais na produção nacional, sem nunca esquecer o que de melhor se faz em todo mundo. O CineEco voltou a trazer à luz do dia algumas das mais prementes temáticas relacionadas com o Ambiente e já é o centro de discussão das problemáticas que assolam as comunidades e que se relacionam com as alterações climáticas; o lixo tóxico, a poluição atmosférica, a falta de água, entre outros temas», refere a direcção do festival.

A próxima edição do CineEco irá realizar-se entre 8 e 15 de Outubro de 2022.

PUB

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close