Fortaleza de Almeida já está na Lista Indicativa de Portugal à UNESCO

A Comissão Nacional da UNESCO terminou a actualização da Lista Indicativa de Portugal e incluiu as Fortalezas Abaluartadas da Raia, uma candidatura conjunta dos municípios de Almeida, Valença, Elvas e Marvão. A Lista Indicativa é um pré-requisito indispensável para a candidatura de Bens a Património Mundial.

s fortalezas de Almeida, Valença, Elvas e Marvão já estão na Lista Indicativa de Portugal da UNESCO, o que significa que estão reunidas as condições para que possam ser consideradas Património Mundial. O processo de candidatura das Fortalezas Abaluartadas da Raia é da responsabilidade daqueles municípios que têm trabalhado em conjunto para que as fortalezas sejam reconhecidas pela UNESCO.
A candidatura foi incluída na Lista Indicativa de Portugal depois de concluído o processo de actualização, iniciado em finais de 2013. A última actualização tinha acontecido em 2004, como explica a Comissão Nacional da UNESCO em comunicado divulgado na semana passada.
Conduzido pela Comissão Nacional da UNESCO, entidade responsável pelo acompanhamento no nosso país da Convenção da UNESCO para a Protecção do Património Mundial, Cultural e Natural, o processo decorreu da recomendação da UNESCO de que as Listas Indicativas dos Estados sejam actualizadas a cada 10 anos. As Listas Indicativas constituem um «pré-requisito indispensável para a candidatura de Bens a Património Mundial», esclarece a nota da UNESCO. Da Lista de 22 bens consta também o Aqueduto das Águas Livres, a Baixa Pombalina de Lisboa, o Centro Histórico de Guimarães, o Conjunto Edificado do Palace-Hotel no Bussaco, as Levadas da Madeira, o Palácio e Tapada Nacionais de Mafra, o Santuário do Bom Jesus do Monte em Braga, entre outros.
Recorde-se que a candidatura foi apresentada no início deste ano, tendo na altura o presidente da Câmara de Almeida, Baptista Ribeiro, se manifestado muito confiante no êxito da iniciativa. O autarca sustentou que a candidatura considerada «forte» é a primeira em série e deixa a possibilidade de outras fortalezas se juntarem à rede. Os autarcas sublinham ter a «profunda convicção do alto interesse cultural que representa para o país e para a humanidade, o futuro reconhecimento internacional de um património ímpar no contexto da civilização europeia».
De destacar ainda que a candidatura engloba o Património de Elvas, declarado Património da Humanidade em 2012 o que na opinião dos autarcas vem «abranger uma «nova consistência». Recorde-se que a ideia de apresentar uma candidatura conjunta à UNESCO começou a ser trabalhada em Maio de 2009, altura em que os municípios de Almeida, Elvas, Estremoz, Marvão e Valença apresentaram aos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Cultura uma declaração conjunta na qual manifestaram a intenção de desenvolver todo o processo. Só que Elvas iniciou um processo isolado e os restantes municípios foram surpreendidos com o anúncio da decisão da UNESCO.
Elevar a fortaleza de Almeida a Património Mundial é uma ambição de vários anos. Almeida é considerada uma das fortalezas abaluartadas mais interessantes do mundo. Está construída sob a forma de uma estrela. Dotada de doze aguerridos baluartes e revelins, esta fortaleza que chegou a ser a segunda mais importante de Portugal, data dos finais do século XVIII, tendo sofrido inúmeras modificações até se apresentar com a blindagem actual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close