GNR concentra esforços na captura de suspeitos dos crimes de Aguiar da Beira

À hora do fecho desta edição ainda não tinham sido capturados os suspeitos que terão matado um militar e ferido outro, em Aguiar da Beira. A GNR informou que estava a concentrar todos os esforços para tentar detectar e capturar os suspeitos, tendo também sido alertadas as autoridades espanholas. «A polícia espanhola está obrigatoriamente ao corrente dos acontecimentos, pois não podemos descartar a possibilidade de os suspeitos saírem do país», revelou o major Pedro Gonçalves, Relações Públicas do Comando Territorial da GNR da Guarda.
A Polícia Judiciária e a GNR terminaram cerca das 14 horas de Terça-feira a recolha de indícios junto à Estrada Nacional (EN) 229, em Aguiar da Beira, onde foi encontrado um militar morto e dois civis alvejados, um destes também morto. O major Pedro Gonçalves explicou aos jornalistas que neste local foi encontrada a viatura da GNR com o militar na bagageira. Tratava-se de Carlos Caetano, de 29 anos, natural de Aguiar da Beira.
Os dois civis encontravam-se «a dez metros da estrada e a cerca de cem metros, mais para dentro do mato, estava a viatura, provavelmente com o objectivo de a ocultar», referiu, acrescentando que «se presume que uma situação esteja relacionada com a outra».
Junto a um hotel que está em construção na zona industrial de Aguiar da Beira, próximo das Caldas da Cavaca, foi encontrado ferido outro militar, António Ferreira, natural de Lisboa e residente em Penalva do Castelo, de 41 anos.
Os dois militares andavam a fazer patrulhamento e «a última vez que deram informação para a sala de situação foi cerca das 03:30», explicou. Segundo Pedro Gonçalves, os militares terão sido alvejados depois de terem confrontado os suspeitos. «Viemos a perceber que os suspeitos transportaram um militar para um local próximo, situado a cinco quilómetros. O outro militar ferido foi encontrado no primeiro local na zona industrial de Aguiar da Beira, localidade de Vila Chã», acrescentou.
A GNR só começou a suspeitar que algo se passava com os dois militares em patrulha porque a viatura em que seguiam esteve imóvel durante muito tempo e não conseguiram contactá-los. Ainda durante a manhã, enquanto eram efectuadas buscas na área, a GNR detectou mais «duas vítimas civis com ferimentos de bala: um senhor que já não apresentava sinais vitais e uma senhora que ainda apresentava sinais de vida e que se encontrava num estado com gravidade».
Este casal, com idades na casa dos 40 a 50 anos, já está identificado. A GNR garantiu que está a concentrar todos os esforços para tentar detectar e capturar os suspeitos, que serão pelo menos dois. O militar ferido no tiroteio, de acordo com o hospital de Viseu, estava, na Terça-feira, estabilizado, mas ainda a necessitar de cuidados médicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close