Governo aprova 19,8 milhões para testes rápidos nas escolas e no sector social

O Conselho de Ministros aprovou hoje uma resolução que permite às escolas e ao sector solidário efectuar despesa na realização de testes rápidos de antigénio à covid-19, num montante global de 19,8 milhões de euros.

«Desta forma, o Governo pretende preparar a reabertura gradual e sustentada das atividades presenciais, dando continuidade à implementação da Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2 2020», explica o Conselho de Ministros, em comunicado.

A resolução, que foi hoje aprovada de forma electrónica, autoriza a realização de despesa, por parte da Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e do conselho directivo do Instituto da Segurança Social, para a aquisição de serviços de realização de testes rápidos de antigénio em estabelecimentos de educação e ensino públicos e em respostas sociais de apoio à infância do sector social e solidário, até um montante de 19,8 milhões de euros.

Na Quinta-feira, em declarações à agência Lusa, representantes das associações de pais e directores escolares ressalvaram que as escolas estão preparadas para reabrir, mas pediram mais testes de rastreio à covid-19 e, eventualmente, a vacinação dos profissionais para reforçar a confiança.

A norma da Direcção-Geral da Saúde sobre a Estratégia Nacional de Testes, actualizada no dia 26 de Fevereiro, prevê que os «testes à SARS-CoV-2 vão abranger todas as escolas de Portugal continental e contemplar a amostra de saliva para a realização dos rastreios laboratoriais».

A norma indica que «são recomendados rastreios laboratoriais regulares (de 14 em 14 dias) nos estabelecimentos de ensino ao pessoal docente e não docente» e que a incidência da testagem nas escolas prevê recolhas em concelhos com incidência cumulativa a 14 dias superior 120 por 100 mil habitantes.

O executivo prevê apresentar o plano de desconfinamento na Quinta-feira e, segundo o primeiro-ministro será gradual, progressivo e diferenciado em termos de abertura de actividades. As escolas estão encerradas desde 22 de Janeiro, quando o Governo anunciou uma interrupção lectiva antecipada de duas semanas. As aulas retomaram a 8 de Fevereiro, mas à distância, à semelhança do que aconteceu no ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close