Guarda e Viseu são os distritos com mais idosos a viver sozinhos ou isolados

SONY DSC

Quase oito mil idosos moram sozinhos ou isolados em Viseu e na Guarda, os distritos do país com mais pessoas nestas condições, segundo dados da operação “Censos Sénior 2016” divulgados na passada semana pela GNR. No total do país, os cerca de 300 militares da GNR envolvidos na operação “Censos Sénior 2016”, que decorreu entre 1 e 30 de Abril em todo o país, identificaram 43.322 idosos a viver sozinhos, isolados ou em situação de vulnerabilidade, um número que quase triplicou desde 2011, ano em que foi realizada a primeira operação deste género.
Tal como em 2015, Viseu é o distrito com o maior número de casos, onde foram sinalizados pelos militares da GNR 4.113 idosos a viverem nestas condições, mais 358 do que no ano anterior. Já no distrito da Guarda foram sinalizados 3.870 idosos que vivem sozinhos ou isolados, mais 634 do que em 2015, referem os dados da operação, que decorreu entre 1 e 30 de Abril em todo o país.
Dos 3.870 idosos sinalizados no distrito da Guarda, 3.125 vivem sozinhos (+651), 481 vivem isolados (-37) e 250 vivem sozinhos e isolados (+23). Há ainda 14 que não se enquadram nas situações anteriores, mas em situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas (-3).
Três concelhos do distrito registam um aumento significativo do número de idosos que vivem sozinhos ou isolados, sendo que Sabugal é o que lidera (ver quadro1), seguido de Almeida e Figueira de Castelo Rodrigo.
Dos 43.322 idosos sinalizados no país, 26.000 vivem sozinhos (mais 2.004 relativamente a 2015), 4.626 moram em locais isolados (menos 579) e 3.085 vivem sozinhos e isolados (menos 203). Os restantes idosos sinalizados (9.611) encontravam-se em «situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas», mais 2.884 relativamente ao ano anterior, refere a GNR.
Depois de Viseu e Guarda, surge, em terceiro lugar, o distrito de Vila Real, com 3.455 idosos sinalizados, seguindo-se Beja (3.352), Portalegre (3.052), Bragança (3.125), Faro (3.048) e Braga (3.022). No distrito de Évora foram sinalizados 2.837 idosos, em Castelo Branco 2.362, em Santarém 2.119, em Setúbal 1.610, em Aveiro 1.507, em Leiria 1.380, em Coimbra 1.290 e em Viana do Castelo 1.074.
Segundo os dados, os distritos do Porto e de Lisboa foram os que registaram menos pessoas que vivem sozinhas ou isoladas, com 1.134 e 972 idosos sinalizados, respectivamente. Os distritos que registaram o maior aumento de idosos a viver nestas condições foram Braga, que passou de 1.647 em 2015 para 3.022 em 2016 (45%), Leiria, que subiu de 882 para 1.380 (40%) e Faro, que aumentou de 1.977 para 3.048 (35%).
Os dados da GNR referem ainda que a maioria (28.691) dos idosos sinalizados são mulheres. Dos 43.322 idosos sinalizados – mais 4.106 relativamente ao ano anterior (9,4%) -, 26.000 vivem sozinhos (mais 2.004 relativamente a 2015), 4.626 moram em locais isolados (menos 579) e 3.085 vivem sozinhos e isolados (menos 203). Os restantes idosos sinalizados (9.611) encontravam-se em «situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas», mais 2.884 relativamente ao ano anterior, refere a GNR.

GNR da Guarda sinalizou 107 pessoas portadoras de deficiência a viverem sózinhas ou isoadas
Os militares da GNR envolvidos na operação “Censos Sénior 2016”, fizeram também, pela primeira vez, o levantamento das pessoas portadoras de deficiência (PcD), tendo sinalizado 600 pessoas, das quais 166 vivem sozinhas, 38 residem em locais isolados, 33 vivem sozinhas e isoladas. As restantes 363 situações não se enquadram nestas situações, adianta a GNR.
No distrito da Guarda foram sinalizadas 107 pessoas (PcD), das quais, 27 vivem sozinhas, uma vive isolada, seis vivem sozinhas e isoladas. Há ainda 73 que não se enquadram nas situações anteriores. As situações de maior vulnerabilidade foram reportadas as entidades competentes, sobretudo de apoio social, no sentido de fazer o seu acompanhamento futuro.
Realizada anualmente pela GNR, a operação “Censos Sénior” tem como objetivo actualizar os registos dos idosos que vivem sozinhos e isolados, identificar novas situações e informar as entidades competentes das situações de potencial perigo.
Durante a operação foram ainda realizadas ações de sensibilização para que «esta população adopte comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes», refere a GNR.
A GNR adianta que continuará, ao longo ano, a acompanhar os idosos sinalizados, realizando visitas regulares às suas residências, no sentido de promover mais ações de sensibilização e fazer uma avaliação da sua segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close