Guarda recebe o final da etapa rainha da Volta a Portugal este ano e no próximo

A Guarda vai receber, este ano e no próximo, o final da etapa rainha da Volta a Portugal em Bicicleta. A etapa deste ano está marcada para o dia 3 de Agosto. Tem o ponto de partida em Belmonte, passa duas vezes junto ao Alto da Torre, entra no concelho da Guarda por Valhelas e antes da meta, os corredores ainda têm que percorrer as aldeias que ficam nas proximidades da barragem do Cal-deirão e um circuito na cidade.
Um dia depois da etapa rainha, Figueira de Castelo Rodrigo é o ponto de partida da 7ª tirada da prova com final em Castelo Branco.

Já foi apresentada a etapa rainha da edição 78 da Volta a Portugal em Bicicleta, que liga Belmonte à Guarda numa distância de cerca de 175 quilómetros e com duas contagens de Prémio de Montanha de Categoria Especial assinaladas na Torre.
A 6ª tirada, no dia 3 de Agosto, sai de Belmonte em direcção à Covilhã, sobe à Torre, desce para Loriga, vai para Seia, volta a subir à Torre via Sabugueiro, segue em direcção a Manteigas e entra no concelho da Guarda por Valhelhas, subindo depois até ao alto de Famalicão, vira à esquerda para Fernão Joanes, segue pelos Meios, Trinta, Corujeira e Maçaínhas. Á entrada na cidade, o pelotão faz todo o percurso da VICEG, até à ponte pedonal, e sobe pela Avenida de Salamanca, até à rotunda dos F, segue pela Rua António Sérgio e continua a subir desde o Mercado Municipal até ao Jardim José de Lemos, onde vai ficar instalada a meta.
Este ano o Alto da Torre não recebe o final de qualquer etapa, mas os corredores passam por duas ocasiões junto ao ponto mais alto de Portugal Continental, o que já não acontecia desde 2006.
O director da Volta a Portugal, Joaquim Gomes, disse aos jornalistas que o desaparecimento da etapa na Torre não retira importância à prova. «A mística está lá. Vamos ter, com certeza, muito público, até porque [as pessoas] vão ver passar os ciclistas duas vezes» no ponto mais alto da Serra da Estrela, afirmou. Referiu ainda que, com a alteração introduzida este ano, as pessoas que se deslocarem à Serra da Estrela «vão ver a passagem na Torre e ainda têm tempo de ver a final na Guarda».
O responsável considera que a etapa “rainha” se identifica «em pleno» com a «fantástica região da Serra da Estrela» e é «uma das mais exigentes etapas que alguma vez se colocou na estrada na Volta a Portugal».
A decisão de suprimir a etapa na Torre está também relacionada com as condições climatéricas adversas que por vezes se verificam (nevoeiro) e com imprevisibilidades originadas pelos incêndios florestais, mas os constrangimentos financeiros também levaram a organização a desenhar outro percurso que, em 2017, não será muito diferente.
A cidade mais alta de Portugal já recebeu o pelotão da Volta em 53 ocasiões, e muitas vezes em momentos decisivos como se prevê que seja este ano, o que deixa o presidente do município, Álvaro Amaro, particularmente satisfeito. «Sou um fervoroso adepto da modalidade e a Volta a Portugal é uma grande montra do nosso país pela energia que ela arrasta. Este ano estamos muito orgulhosos pelo papel funda-mental que a Guarda vai desempenhar enquanto cidade de chegada da etapa rainha da Volta a Portugal», disse.
Com longo historial na prova, a Guarda foi uma das 19 localidades visitadas, em 1927, na 1ª edição da Volta a Portugal. As dificuldades de montanha serão omnipresentes ao longo dos quase 175 quilómetros desenhados para o percurso de 3 de Agosto.
Além da partida de Belmonte e da chegada à Guarda, após o dia de descanso, há outros pontos relevantes na 6ª etapa que Joaquim Gomes, director da competição, descreve como uma das mais duras tiradas dos últimos anos. «É um elevadíssimo grau de exigência, que naturalmente lhe atribui o estatuto de etapa rainha. Belmonte verá partir a caravana para o desafio de enfrentar a Torre por duas vezes, com o Vale Glaciar, Manteigas e a Albufeira do Caldeirão a prolongar a batalha até à cidade mais alta», sublinhou.
No dia seguinte, a 4 de Agosto, os corredores saem de Figueira de Castelo Rodrigo em direcção a Castelo Branco, com passagens, no distrito, por Almeida (meta volante) e Sabugal.
A Volta tem início no dia 27 de Julho e termina a 7 de Agosto em Lisboa.

 

Faustino Caldeira
fcaldeira@gmpress.pt

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close