Há um milhão de euros para requalificar as muralhas de Almeida

Esta é uma nova oportunidade para requalificar as muralhas de Almeida, monumento nacional que aguarda pela classificação da UNESCO como património da Humanidade. Há um milhão de euros disponível para fazer as obras, como anunciou recentemente a directora regional da Cultura do Centro, Celeste Amaro. A verba faz parte dos 22,2 milhões de euros que a região centro tem disponíveis para requalificar 52 imóveis classificados como monumentos nacionais. Quase 19 milhões (18,9) vêm através do Portugal 2020. «Na região Centro nunca houve tanto dinheiro para requalificar património. Isto surge na sequência de um trabalho que os técnicos da Direção Regional de Cultura do Centro (DRCC) foram fazendo no sentido de mapear os imóveis classificados que estavam em risco de ruir», explicou Celeste Amaro.
O investimento está inscrito no acordo celebrado em Agosto do ano passado entre as seis comunidades urbanas da região Centro – Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela, Viseu Dão Lafões, região de Aveiro, região de Coimbra e região de Leiria – e a Comissão de Coordenação Regional do Centro (CCDRC). A apresentação de candidaturas, procedimento aberto pela CCDR, decorre até final de Outubro. As candidaturas terão de ser apresentadas pelas câmaras municipais ou pela CCDR, caso seja a dona da obra.
Entre os 52 imóveis classificados como monumentos nacionais que têm inscritas verbas mais significativas surgem as termas romanas de São Pedro do Sul (1,9 ME), o Mosteiro de Jesus em Aveiro (1,6 ME) e a Sé de Viseu (1,3 ME). A responsável da DRCC sublinhou ainda que os únicos imóveis de interesse público inscritos, mas que estão em processo de classificação como monumento nacional, são o Convento de Santa Cruz e as Capelas Ermidas da Mata do Buçaco. «Estes [imóveis] estão classificados como sendo de interesse público, mas estão em processo de classificação como monumentos nacionais, o que irá acontecer ainda este ano, pelo que se pode apresentar a candidatura», concluiu.
A requalificação das muralhas de Almeida surge numa altura em que está em curso o processo de classificação da fortaleza como património da humanidade. Aquele monumento integra a candidatura das Fortalezas Abaluartadas da Raia que já está na Lista Indicativa de Portugal da UNESCO, o que significa que estão reunidas as condições para que possam ser consideradas Património Mundial. A candidatura envolve também as fortalezas de Valença, Elvas e Marvão,
Recorde-se que a ideia de apresentar uma candidatura conjunta à UNESCO começou a ser trabalhada em Maio de 2009, altura em que os municípios de Almeida, Elvas, Estremoz, Marvão e Valença apresentaram aos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Cultura uma declaração conjunta na qual manifestaram a intenção de desenvolver todo o processo. Só que Elvas iniciou um processo isolado e os restantes municípios foram surpreendidos com o anúncio da decisão da UNESCO.
Elevar a fortaleza de Almeida a Património Mundial é uma ambição de vários anos. Almeida é considerada uma das fortalezas abaluartadas mais interessantes do mundo. Está construída sob a forma de uma estrela. Dotada de doze aguerridos baluartes e revelins, esta fortaleza que chegou a ser a segunda mais importante de Portugal, data dos finais do século XVIII, tendo sofrido inúmeras modificações até se apresentar com a blindagem actual.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close