IGAS inicia inspecções à vacinação na região Centro na Segunda-feira

A Inspecção-Geral das Actividades em Saúde (IGAS) inicia na Segunda-feira acções inspectivas a alegadas irregularidades na vacinação contra a covid-19 em hospitais e centros de saúde do Centro, disse hoje à agência Lusa uma fonte ligada ao processo.

A fonte oficial adiantou que os inspectores da IGAS «vão começar o seu trabalho», nomeadamente em unidades dos agrupamentos de centros de saúde (ACeS) do Pinhal Litoral e do Baixo Vouga, bem como nas unidades locais de saúde (ULS) da Guarda e de Castelo Branco.

Nesta fase, a intervenção da IGAS abrange «duas situações» suspeitas no Pinhal Litoral, «três casos» no Baixo Vouga e «várias situações» nos distritos da Guarda e Castelo Branco. «Além destes, serão inspeccionados vários hospitais da região Centro, incluindo o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC)», informou a mesma fonte, segundo a qual “irão também avançar inspecções» da IGAS «às listagens de lares de idosos» na região, a fim de verificar eventuais irregularidades na selecção dos pacientes prioritários.

A ULS da Guarda, que presta cuidados de saúde primários, diferenciados e continuados, integra o Hospital de Nossa Senhora da Assunção, em Seia, e o Hospital Sousa Martins, na Guarda, além de vários centros de saúde do distrito.

Por sua vez, com igual conceito de gestão, fazem parte da ULS de Castelo Branco o Hospital Amato Lusitano, na capital de distrito, e diversos centros de saúde nos municípios vizinhos.

Na Quinta-feira, o Ministério Público (MP) anunciou que delegou na Polícia Judiciária a investigação de irregularidades com o plano nacional de vacinação contra a covid-19 e na sequência da instauração de diversos inquéritos.

«A procuradora-geral da República, após articulação com o director nacional da Polícia Judiciária, recomendou a ponderação de delegação de competências para investigação dos inquéritos com o referido objecto, concentradamente na Polícia Judiciária, por forma a potenciar um tratamento uniformizado e maior agilização na articulação com as inspecções sectoriais», informou o MP numa nota enviada à agência Lusa.

Na semana passada, a IGAS encetou um processo de inspecção para verificar o cumprimento das normas e orientações aplicáveis ao processo de administração da vacina contra a covid-19.

Esta inspecção abrange as cinco administrações regionais de saúde (ARS), entidades hospitalares do sector público empresarial do Estado, entidades hospitalares do sector público administrativo, hospitais privados, hospitais do sector social, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close