João Amaral, cabeça-de-lista do CDS pela Guarda, quer dar «um contributo para as causas» em que acredita


João Mário Amaral, escolhido pelo líder nacional do CDS para ser cabeça-de-lista do partido pela Guarda, disse ao TB que se sente «muito honrado pelo convite» e por poder «dar um contributo para as causas» que defende. «[Francisco Rodrigues dos Santos] Provavelmente entendeu que eu seria a pessoa com o perfil ideal para defender as cores do partido e sinto-me muito honrado por isso e por, dessa maneira, dar um contributo para as causas em que acredito», disse esta manhã ao TB João Mário Amaral.

O centrista acrescenta que o trabalho que vai ter agora pela frente não será assim tão árduo como se possa pensar, tendo em conta a actual situação no seio do partido. «Não será tão árduo quanto necessário é chamar a atenção de muitos pequenos problemas que estão na origem do estrangulamento empresarial e social dos nosso territórios de baixa densidade», afirmou. Na sua opinião, «é muito mais duro lidar com a inflexibilidade da adaptação dos programas comunitários aos nosso territórios do que denunciá-los». O candidato adiantou que vai «aproveitar este momento para dizer que não estamos a ser tratados como os outros europeus, já nem digo como os outros portugueses».

Quanto às expectativas em relação à campanha eleitoral e aos resultados que poderão ser obtidos, João Mário Amaral diz que não tem «expectativa absolutamente nenhuma» em relação ao resultado eleitoral. ««Serei um homem satisfeito quanto estou hoje no final de saber qual foi o resultado que a comunidade atribuíu ao meu trabalho e eu quero é que as pessoas tenham expectativas em mim e que eu lhe corresponda às expectativas delas. As minhas expectativas não são importantes, seguramente», salientou.

João Mário Amaral, empresário e presidente da Associação de Artesãos da Serra da Estrela, é o cabeça-de-lista do CDS pelo círculo eleitoral da Guarda às legislativas de 30 de Janeiro. Foi esta a escolha do presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos. Em segundo lugar deverá surgir Carolina Figueiredo, líder da Juventude Popular de Aguiar da Beira, e em terceiro Dora Vilhena, presidente da Comissão Política de Figueira de Castelo Rodrigo. José Saraiva (Pinhel), Anabela Melo (Figueira de Castelo Rodrigo) e Mário Abranches (Seia) deverão ser os restantes elementos da lista. As listas de todos os candidatos do partido foram aprovadas ontem (Quarta-feira) pelo Conselho Nacional, com 84% de votos a favor.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close