Júri aponta «clara falta de parceiros europeus» na candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027

Falta de dimensão europeia, falta de implementação, falta de clareza, falta de experiência em acolher eventos internacionais de grande porte e programas subdesenvolvidos são algumas das falhas apontadas pelo júri internacional à candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027. O relatório, disponível em versão inglesa, é especialmente crítico quanto à Dimensão Europeia e ao Programa Artístico e Cultural, dois dos seis critérios em avaliação. Aconselha a aproveitar todo o trabalho que foi feito na fase de pré-selecção adaptando-o «às suas legítimas aspirações de revitalização territorial».

No entender dos doze especialistas internacionais, dez nomeados por instituições da União Europeia e dois pelo Ministério da Cultura português, a abordagem espacial «é uma maneira muito ambiciosa e interessante de trabalhar», contudo, o “dossiê/bid book” da candidatura enviado para apreciação apresenta falhas a vários níveis em praticamente todos os seis critérios em avaliação: Contribuição para a Estratégia Cultural a Longo Prazo, Programa Artístico e Cultural, Dimensão Europeia, Alcance e Desenvolvimento de Públicos, Gestão e Capacidade de Execução.

O relatório é especialmente crítico em relação à Dimensão Europeia, que no entender dos especialistas está «sub-desenvolvida, com uma clara falta de parceiros europeus», dando a título de exemplo o facto de serem «apenas mencionadas algumas CEC’s anteriores ou futuras, mas sem parcerias claras».

O júri também considera que «o programa itinerante entre os 19 municípios envolvidos apresenta alguns riscos, pois depende de um bom modelo de transporte (público) para ser amplamente um sistema de comunicação acessível e eficiente, que ainda precisa ser desenvolvido. Existe também o risco associado de falta de consistência geral e visão artística coerente».

Estas são algumas das razões que levaram o júri a recomendar que a Guarda «não avance para a fase seguinte do processo de selecção». O mesmo aconteceu a Coimbra, Faro, Funchal, Leiria, Oeiras, Viana do Castelo e Vila Real.

Das doze cidades portuguesas que se candidataram a Capital Europeia da Cultura 2027 passam à fase final as cidades de Aveiro, Braga, Évora e Ponta Delgada. As audiências de selecção final e o anúncio da Capital Europeia da Cultura 2027, em Portugal, decorrerão em Dezembro deste ano.

Pode ler a notícia completa na edição desta semana do Jornal Terras da Beira.

PUB

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close