Lista de Miguel Alves eleita com 26 votos

A entrada de dois novos elementos para a direcção, a apresentar na tomada de posse, ainda sem data marcada, é a novidade da única lista concorrente às eleições da Associação Comercial da Guarda, realizadas Quarta-feira da semana passada, liderada pelo actual presidente, que obteve 26 votos em 595 possíveis.
A fraca adesão dos sócios não surpreende Miguel Alves, reconduzido no cargo por mais três anos, que não só desvaloriza a questão como a considera uma prova de confiança. «Nas anteriores eleições só presenciei um processo onde houve efectivamente duas listas, na altura com o doutor Paulo Manuel e o arquitecto [Joaquim] Carreira, há cerca de três mandatos anteriores. Reza a história que quando não existem duas listas, não existe o debate entre os associados ou para os associados, a participação é diminuta, como se vem a verificar. Ou seja, era aquilo que nós estávamos à espera», justifica. O que em seu entender «não significa que estamos menos ou mais legitimados». «Aliás, o não aparecer uma outra lista significa que o projecto apresentado e desenvolvido pela anterior direcção, que se mantém para este novo mandato, é da concordância geral dos nossos associados. E é esse o nosso entendimento», afirma.
Da equipa que o irá acompanhar no próximo mandato, Miguel Alves destaca a entrada de «dois novos elementos, que irão ser apresentados, e do conhecimento público, aquando da tomada de posse, dentro em breve». «A direcção, na minha pessoa, os vice-presidentes [Salvador Lourenço e Nuno Martins] e os tesoureiros [Vítor Nunes e Nuno Silva], mantém-se, bem como o presidente do Conselho Fiscal, Ricardo Coelho, e o presidente da Mesa da Assembleia, doutor Seguro Pereira», concretiza.
A primeira medida que a equipa pretende implementar é a apresentação do projecto Cowork» e de sistemas de incentivo e apoio a acções colectivas ao empreendedorismo, que serão disponibilizados para os empreendedores com a finalidade de «ajudar a criar as empresas para o nosso distrito».
«Depois temos aquilo que foram as medidas e o trabalho efectuado no anterior mandato, que termina agora, candidaturas colocadas nos fundos comunitários que iremos agora dar início», adianta Miguel Alves, destacando que a Associação Comercial «colocou candidaturas no Portugal 2020 para capacitar, acompanhar, monotorizar cerca de 120 empresas que já fizeram a sua manifestação de interesse».
E revela que uma das medidas para este mandato é o «projecto de internacionalização para o Estado de New Jersey, que pretende exportar os nossos produtos endógenos através da sua comercialização para o mercado do outro lado do Atlântico».
GM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close