Luís Rebello é hoje homenageado com exposição evocativa e número da revista Praça Velha

O Município da Guarda vai homenagear o artista plástico Luís Rebello, que morreu em 2020, com a inauguração de uma exposição evocativa da obra do pintor e escultor e com um novo número da revista cultural Praça Velha. O lançamento da revista, seguido da inauguração da exposição, está marcado para esta tarde, a partir das 18 horas, no auditório do Paço da Cultura/auditório do Museu da Guarda.

A autarquia referiu em comunicado que, através do seu Museu, «presta homenagem ao artista plástico Luís Rebello com a inauguração de uma exposição evocativa da obra do pintor e escultor guardense, que faleceu em 2020». «No mesmo dia é lançado novo número da revista cultural Praça Velha, cuja capa, também em jeito de homenagem, reproduz um pormenor de uma composição pictórica de Rebelo», acrescentou o município. O pintor, desenhador, escultor e ceramista Luís Rebello nasceu na Guarda em 1945 e morreu naquela cidade no dia 6 de Janeiro de 2020.

O artista está representado em diversas colecções e a sua obra «retrata predominantemente aspectos da região da Beira Interior (sobretudo paisagens, casas e as suas gentes), quer da sua cidade natal, quer do mundo rural do distrito da Guarda».

A 41.ª edição da revista cultural Praça Velha, editada semestralmente pela Câmara Municipal da Guarda, desde 1997, apresenta-se nesta edição com uma nova organização de matérias, desdobrando os conteúdos «em dois volumes temáticos, a editar separada e semestralmente: o primeiro, dedicado ao Património e História; o segundo, à Literatura e outras Artes. A linha editorial é a mesma: divulgar o Património Cultural da região da Guarda», referiu a fonte.

O número que é apresentado ao público na quinta-feira está dividido em quatro blocos: Património e História, Grande Entrevista, Portfólio e Súmula. A secção “Património e História” reúne artigos de F. Carvalho Rodrigues, Elsa Salzedas, António Marques e João Carlos Lobão, Vítor Pereira/Alcina Cameijo/Tiago Ramos e Ana Leonor Pereira da Silva, António Salvado Morgado, Manuel Luís Fernandes dos Santos, Anabela Matias e Dulce Helena Borges, Francisco Manso e Ana Manso, António Manuel Prata Coelho, Aires Antunes Diniz, José António Quelhas Gaspar, Inês Costa e Olga Santa Bárbara.

A “Grande Entrevista” é com o antropólogo Paulo Lima e o “Portfólio” da publicação tem por tema “A Guarda pelos Olhos de pintores do século XIX ao século XXI: proposta de um itinerário pelos lugares mais representados da cidade altaneira – uma amostra da coleção do Museu da Guarda, constituída por desenhos, aguarelas, óleos, acrílicos e uma serigrafia digital”, numa organização do coordenador do Museu da Guarda, Thierry dos Santos. «Dos 24 trabalhos de iconografia guardense reproduzidos, dois são da autoria do pintor [Luís Rebello] a quem a presente edição presta tributo».

Devido à pandemia, o acesso à sessão de lançamento da revista e à inauguração da exposição evocativa da obra do artista plástico Luís Rebello estará condicionado à apresentação de certificado digital covid-19.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close