Mais de 1.500 kits para a caminhada “Pequenos Passos, Grandes Gestos”

Este Sábado realiza-se a 7ª edição da caminhada “Pequenos Passos, Grandes Gestos, promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, a decorrer em sete cidades da região Centro. A meta estabelecida pelo Núcleo Distrital da Guarda é de «1.525 kits [t-shirt, garrafa de água e folhetos informativos] com a respectiva inscrição», mas pode ser ultrapassada, como aconteceu na última edição.

 

As expectativas são «outra vez muito altas» quanto ao sucesso da “Pequenos Passos, Grandes Gestos”. A caminhada de sensibilização para a prevenção do cancro da mama, promovida pelo Movimento Vencer e Viver (MVV) da Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Centro, terá lugar este Sábado, pelo sétimo ano consecutivo, simultaneamente na Guarda, Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Covilhã, Leiria e Viseu, cidades onde existem extensões do referido movimento.
A meta estabelecida pelo Núcleo Distrital da Guarda do MVV é de «1.525 kits [t-shirt, garrafa de água e folhetos informativos] com a respectiva inscrição», no valor de 5 euros. «No ano passado a nossa meta era de 1500 e fizemos 1509 inscrições» recorda a coordenadora, Olga Braz Pereira, afirmando que «a esperança nunca se perde» em ultrapassar, uma vez mais, o objectivo.
E tudo indica que isso possa acontecer dado o envolvimento «cada vez maior» da comunidade, que a tornam «uma das maiores caminhadas da região Centro».
Nas seis edições, de acordo com dados do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro, inscreveram-se 7.107 pessoas, totalizando 35.535 euros,
sendo que «as colaborações não estão incluídas», ressalva a Liga, afirmando que «há muito mais gente envolvida».
“Pequenos Passos, Grandes Gestos” está agendada, como habitualmente, para o primeiro Sábado de Outubro, Mês Internacional de Prevenção de Cancro da Mama, a partir das 15h00. Na Guarda, também como habitualmente, os participantes concentram-se, pelas 14h00, na Alameda de Santo André, de onde partem rumo à Praça Luís de Camões, vulgo Praça Velha, onde haverá um espectáculo musical, ao qual, pela primeira vez, se pode assistir sentado.
O sucesso desta iniciativa não se mede no número de participantes mas sim no atingir daquele que é considerado o «primeiro grande objectivo»: «chamar a atenção essencialmente para a necessidade de fazer o rastreio do cancro da mama». «Temos essa noção de que a caminhada tem levado mais mulheres a fazer o rastreio», afirma Olga Braz Pereira, destacando que «a zona Centro é sem dúvida nenhuma a região do país onde é feito mais rastreio» e «a única que tem rastreio em todos os concelhos». «O primeiro grande objectivo pode ir devagarinho mas está a ser atingido», reforça.
São também cada vez mais as mulheres que procuram a delegação da Guarda do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro, inaugurada em Janeiro último, sediada em instalações cedidas por um período de dez anos pela Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, situadas no rés-do-chão do edifício da Administração desta ULS, e onde funcionam o Movimento Vencer e Viver, uma extensão da unidade de Psico-Oncologia de apoio a todos os doentes oncológicos e familiares e ainda o Grupo de Voluntariado Comunitário da Guarda. «Tivemos um aumento considerável de senhoras que nos procuram para a aquisição do material que necessitam e não só, através de nós são encaminhadas para o apoio psico-oncológico», destaca Olga Braz Pereira.
No caso concreto do MVV, que durante anos funcionou numa sala da Extensão de Saúde de São Miguel, na Guarda-gare, foi a mudança para as actuais instalações que motivou esse aumento de procura. «Temos umas instalações para o acolhimento mais dignas, com outro conforto e estamos mais próximo do centro», justifica a coordenadora. Mas houve outra razão. «As mulheres que necessitam da Liga tiveram conhecimento, por carta, da abertura da delegação da Guarda, e neste momento vêm de mais longe, coisa que não acontecia lá em baixo [Guarda-gare]», explica, concluindo que «havia muita gente da cidade que não sabia que nós existíamos».

Gabriela Marujo
gabmarujo.terrasdabeira@gmpress.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close