Manteiguenses desafiam autarquia a promover nova utilização do Colégio Nossa Senhora de Fátima

Os primeiros cortes ao financiamento aos colégios privados ditaram o encerramento do Colégio Nossa Senhora de Fátima, em Manteigas, no início do ano passado. Os familiares do benemérito que cedeu o imóvel para funcionamento do colégio defendem que o edifício poderia acolher uma escola de artes e desafiam a autarquia a tomar iniciativa.
s familiares dos beneméritos que cederam o edificio onde durante dezenas de anos funcionou o Colégio Nossa Senhora de Fátima, em Manteigas, não se conformam com o abandono a que foi votado o espaço desde que a instituição encerrou no início do ano passado. Os primeiros cortes ao financiamento dos colégios com contrato de associação, definidos e aplicados ainda pelo anterior governo, ditou o encerramento daquele estabelecimento de ensino. No Verão, Maria da Luz Lopes e Joaquim da Mota Veiga fizeram publicar uma carta aberta lamentando o abandono do edífcio cedido pelo pai para ali funcionar o Colégio e desafiaram os presidentes da Câmara e da Assembleia Municipal a promoverem um novo destino do imóvel mantendo a sua vertente da formação. Os autores da missiva defendem que o espaço pode ser aproveitado para uma versão actualizada das antigas escolas de artes e ofícios, lembrando que o governo está a reconhecer a importância do ensino técnico. Maria da Luz e Joaquim da Mota Veiga lamentam que o espaço esteja «totalmente votado ao abandono e tudo indica que em grave risco de degradação e posterior vandalização».
A carta aberta já mereceu resposta por parte do presidente da Assembleia Municipal, Lemos Santos, que usou o mesmo metódo para manifestar a sua posição sobre o assunto. Numa carta aberta também publicada no jornal Notícias de Manteigas, o autarca promete levar o assunto à Assembleia Municipal desafiando também o presidente da Câmara, José Manue Biscaia, a pronunciar-se. Lemos Santos defende que o imóvel pode vir a ser aproveitado para uma extensão da Escola Profissional e para outros cursos além da área da hotelaria. O autarca defende uma parceria com o Centro Paroquial de São Pedro «poderia viabilizar oferta de internato para quem viesse de fora do concelho». Lemos Santos lembra que o governo relançou o programa de educação de adultos prevendo criar 300 novos centros. «Estará assim criada a janela de oportunidade para que a Escola Profissional por agora só de hotelaria, mas cujo objecto ppderá ser alargado a outros profissionais e também de adultos com as consequentes sinergias, possa vir a ocupar o edifíicio do Colégio», aponta.
O TB tentou obter uma posição da parte do presidente da Câmara Municipal de Manteigas, José Manuel Biscaia, mas sem sucesso. Recorde-se que o autarca ainda intercedeu junto do Ministério da Educação para tentar evitar o encerramento da instituição, mas sem efeito.
Dos cinco estabelecimentos de ensino com contrato de associação a funcionar no distrito, o Colégio de Nossa Senhora de Fátima em Manteigas era aquele que estava mais distante de uma escola secundária (31 quilómetros), mas estava a dois quilómetros de escolas com ensino básico. Das quatro turmas que estava previsto formar o Ministério da Educação assumia o financiamento de apenas três. A redução tornou a situação insustentável e os responsáveis acabaram por encerrar a instituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close