Marcelo aponta «acessos difíceis» à serra da Estrela

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que, «de uma forma geral», a zona da serra da Estrela tem «acessos difíceis», embora reconhecendo a existência de excepções. «Temos aqui uma grande desigualdade de acessos, mas de uma forma geral, a área da serra da Estrela tem acessos difíceis», afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Seia, na sessão de apresentação do Dispositivo Conjunto de Protecção e Socorro da Serra da Estrela.

O chefe de Estado disse, no entanto, que «há excepções» e que o problema das acessibilidades deve «ser encarado globalmente». «Como é que se acede do Norte, do Leste, do Sul, do Oeste, a esta área? Para a actividade económica, é fundamental. Para a própria atividade económica específica que é o turismo, é muito importante. É muito importante. Isto implica uma visão global. Claro que cada autarquia pode ver por si», afirmou.

Segundo Marcelo de Rebelo de Sousa, por exemplo, a Covilhã poderá dizer que tem um problema e Seia dirá que tem «a estrada real, ou a estrada da Beira». «Outros municípios dirão coisas ainda piores, se forem mais profundos. Imagino que Manteigas dirá um pouco pior do que isto. E outros dirão um pouco melhor do que isto. A Guarda dirá melhor do que isto. Está mais bem servida de acessos. Gouveia está numa transição», especificou. Na sua opinião, «vale a pena pensar o conjunto». «Porque se não é, então cada um por si« , avisou.

Na sua intervenção, o Presidente da República também observou que o plano integrado para a prevenção e combate a incêndios florestais «é uma necessidade que começou a ser sentida” e tem agora a «oportunidade de dar um salto qualitativo».

O Dispositivo Conjunto de Protecção e Socorro da Serra da Estrela hoje apresentado em Seia está integrado no Plano Operacional da Serra da Estrela que permite a proteção e o socorro dos visitantes durante o período de 1 de Dezembro ao fim-de-semana após a Páscoa.

O Comandante Operacional Distrital da Proteção Civil de Castelo Branco, Francisco Peraboa, disse que o plano operacional abrange os municípios de Covilhã, Seia, Gouveia e Manteigas e integra elementos dos bombeiros, da Força Especial de Protecção Civil e da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR.

Na mesma cerimónia, o presidente da Câmara de Seia, Luciano Ribeiro, referiu que, após o incêndio do Verão, «em boa hora o Governo decidiu avançar com o plano de revitalização da serra da Estrela».

Marcelo Rebelo de Sousa está hoje a realizar visitas aos territórios atingidos pelos incêndios do verão na região da serra da Estrela, tendo passado durante a manhã pelos concelhos da Covilhã (Castelo Branco) e de Manteigas (Guarda). A seguir a Seia visitará os municípios de Gouveia, Celorico da Beira e, por último a Guarda. Neste último concelho da visita, Marcelo Rebelo de Sousa deverá presença no “Magusto da Velha”, em Aldeia Viçosa, pelas 17h15, e cerca das 18 horas, na apresentação do projecto “eGuard”, desenvolvido pelo Comando Territorial da GNR. Ainda antes de ser recebido na Câmara, Marcelo Rebelo de Sousa deslocar-se-á depois à Fundação João Bento Raimundo para visitar os idosos apoiados pelo Programa de Apoio a Idosos da PSP, seguindo depois para o edifício dos Paços do Concelho onde serão apresentados os trabalhos em curso do Plano Operacional da Serra da Estrela.

Marcelo aponta «acessos difíceis» à serra da Estrela

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que, «de uma forma geral», a zona da serra da Estrela tem «acessos difíceis», embora reconhecendo a existência de excepções. «Temos aqui uma grande desigualdade de acessos, mas de uma forma geral, a área da serra da Estrela tem acessos difíceis», afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Seia, na sessão de apresentação do Dispositivo Conjunto de Protecção e Socorro da Serra da Estrela.

O chefe de Estado disse, no entanto, que «há excepções» e que o problema das acessibilidades deve «ser encarado globalmente». «Como é que se acede do Norte, do Leste, do Sul, do Oeste, a esta área? Para a actividade económica, é fundamental. Para a própria atividade económica específica que é o turismo, é muito importante. É muito importante. Isto implica uma visão global. Claro que cada autarquia pode ver por si», afirmou.

Segundo Marcelo de Rebelo de Sousa, por exemplo, a Covilhã poderá dizer que tem um problema e Seia dirá que tem «a estrada real, ou a estrada da Beira». «Outros municípios dirão coisas ainda piores, se forem mais profundos. Imagino que Manteigas dirá um pouco pior do que isto. E outros dirão um pouco melhor do que isto. A Guarda dirá melhor do que isto. Está mais bem servida de acessos. Gouveia está numa transição», especificou. Na sua opinião, «vale a pena pensar o conjunto». «Porque se não é, então cada um por si« , avisou.

Na sua intervenção, o Presidente da República também observou que o plano integrado para a prevenção e combate a incêndios florestais «é uma necessidade que começou a ser sentida” e tem agora a «oportunidade de dar um salto qualitativo».

O Dispositivo Conjunto de Protecção e Socorro da Serra da Estrela hoje apresentado em Seia está integrado no Plano Operacional da Serra da Estrela que permite a proteção e o socorro dos visitantes durante o período de 1 de Dezembro ao fim-de-semana após a Páscoa.

O Comandante Operacional Distrital da Proteção Civil de Castelo Branco, Francisco Peraboa, disse que o plano operacional abrange os municípios de Covilhã, Seia, Gouveia e Manteigas e integra elementos dos bombeiros, da Força Especial de Protecção Civil e da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR.

Na mesma cerimónia, o presidente da Câmara de Seia, Luciano Ribeiro, referiu que, após o incêndio do Verão, «em boa hora o Governo decidiu avançar com o plano de revitalização da serra da Estrela».

Marcelo Rebelo de Sousa está hoje a realizar visitas aos territórios atingidos pelos incêndios do verão na região da serra da Estrela, tendo passado durante a manhã pelos concelhos da Covilhã (Castelo Branco) e de Manteigas (Guarda). A seguir a Seia visitará os municípios de Gouveia, Celorico da Beira e, por último a Guarda. Neste último concelho da visita, Marcelo Rebelo de Sousa deverá presença, pelas 17h15, no “Magusto da Velha”, em Aldeia Viçosa, e, mais tarde, cerca das 18 horas, na apresentação do projecto “eGuard”, desenvolvido pelo Comando Territorial da GNR. O presidente da República deslocar-se-á depois à Fundação João Bento Raimundo para visitar os idosos apoiados pelo Programa de Apoio a Idosos da PSP, seguindo depois para o edifício dos Paços do Concelho onde serão apresentados os trabalhos em curso do Plano Operacional da Serra da Estrela.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close