Marcelo, a dona Lurdes e as “selfies”

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, surpreendeu a organização da Feira Ibérica de Turismo, comunicando que iria chegar meia hora mais cedo do que o previsto. A inauguração do certame estava marcado para as 15 horas de Sexta-feira e quando o chefe de Estado chegou ao recinto pouco depois das 14.30 horas ainda havia expositores a ultimar os preparativos. A antecipação de Marcelo Rebelo de Sousa apanhou alguns dos convidados e individualidades des-prevenidos, como o ministro da Economia de Cabo Verde que só chegaria ao recinto da FIT já a fase dos discursos se iniciara.
Na sua intervenção, Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu-se à dona Lurdes, uma idosa vestida de negro que assistia à cerimónia à beira do palco e com quem o presidente trocou algumas palavras. Disse que a Guarda era uma «terra cheia de donas Lurdes», com «coragem, determinação e força», lembrando as mudanças dos últimos anos. O presidente teceu rasgados elogios à «dinâmica» e ao «potencial» da FIT, pedindo para que «Portugal abrace» o certame e «abrace também a Guarda».
Sustentou que nesta edição foram 120 expo-sitores, mas «para o ano serão 200 e no ano seguinte terão de ser 250 e terão de chegar a 300 ou mais porque é esse o desafio que nos é levantado». «O facto do presidente da República estar aqui é sinal que quer abraçar a Guarda e o futuro», considerou.
O apelo do presidente da República foi de encontro ao pedido do presidente da Câmara da Guarda que mais uma vez pediu a solidariedade dos organismos nacionais para a organização da FIT. «Estamos totalmente disponíveis para que o Estado português, os responsáveis nacionais pelo turismo, temos toda a humildade para que o país nos abrace, muito para além dos apoios», disse o autarca. Amaro defendeu que para «crescer ainda mais» é preciso «profissionalizar ainda mais» a organização da FIT. «Temos aqui 120 expositores, mas mandámos embora cerca de 130. Nós não tínhamos mais capacidade» e por isso «é importante que o Estado português não deixe de olhar para isso», sustentou.
Marcelo Rebelo de Sousa passou cerca de três horas a visitar os stands, a distribuir beijinhos e abraços e sobretudo a tirar fotografias. O presidente da República não queria deixar ninguém sem uma palavra. «A ver se não me escapa nada», dizia enquanto dava meia volta e fazia toda a comitiva mudar de direcção. Recuou várias vezes no percurso para tentar visitar todos os stands. Não se negou a qualquer desafio. Tirou inúmeras fotografias e selfies, bebeu, provou, brindou, comeu, beijou e até cantou como fez no stand de Cabo Verde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close