Marco Paulo e comédia musical animam 2.ª edição da Feira Farta

A revista de comédia musical “E porque não emigras?” e o concerto de Marco Paulo vão animar a segunda edição da “Feira Farta”, da Guarda, agendada para os próximos dias 24 e 25 de Setembro. A envolvente do Mercado Municipal continua a ser o local escolhido para este evento, organizado pelo Município, que conta com a participação de 43 freguesias, 233 produtores e 412 produtos. A edição deste ano conta com uma tenda que acolherá as freguesias e os seus produtores, bem como uma zona de gastronomia e um palco para a animação.
«O que acho absolutamente fantástico nesta segunda edição é que, das 43 freguesias, vamos ter 412 produtos [mais 188 do que em 2015] e 233 produtores [mais 23 do que no ano anterior]», disse o presidente da autarquia, Álvaro Amaro, na apresentação do certame que visa valorizar o mundo rural e de divulgar os produtos locais.
A feira irá divulgar a riqueza dos produtos agroalimentares do concelho e, segundo Álvaro Amaro, com esta aposta, o município que lidera contribui para a valorização do mundo rural. «Valorizando o mundo rural, estamos a valorizar as pessoas que teimam em viver lá. Isso ajuda as economias rurais e estimula as pessoas a produzir na terra», observou, admitindo que o objectivo será a criação de uma cooperativa que junte os produtores locais.
Com a valorização dos produtos produzidos nas freguesias rurais, as terras e os espaços florestais são ocupados e «diminui-se o risco de incêndios florestais», apontou. «Vale a pena visitar sempre a Guarda mas, neste caso em particular, por esta causa: ver e apreciar os produtos do mundo rural», assumiu o autarca.
A zona da gastronomia é constituída por cinco espaços que são assegurados pelos bairros que participaram este ano na animação dos Santos Populares da cidade e pela Acriguarda – Associação de Criadores de Ruminantes da Guarda, que vai apresentar vários pratos com carne de vaca jarmelista, uma raça autóctone da região do Jarmelo, naquele concelho.
A Câmara Municipal da Guarda investe mais de 150 mil euros no evento anual e atribui um subsídio aos produtores que vendem os seus produtos na Feira Farta. «É um estímulo à pequena produção e à economia mais desfavorecida, que é a do mundo rural», justificou Álvaro Amaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close