Milhares de pessoas assistiram ao “Julgamento e Morte do Galo” na Guarda

Mais uma vez, tal como reza a “tradição”, o galo não se safou de ser queimado em plena na Praça Luís de Camões (Praça Velha), da Guarda. Milhares de pessoas assistiram, esta tarde, ao cortejo dos carros alegóricos, ao julgamento e morte do galináceo. O conceito continua a basear-se no Julgamento do Galo (o culpado de todos os males) e na sua queima e morte, que exorcizará o mal e representará o renascer da esperança.
O Galo tem este ano aves/galináceos que o defenderam e que o acusaram. Cada freguesia teve como seu ícone uma ave, cuja cabeça representou simbolicamente a sua forma emotiva na arte de folgar. O julgamento foi antecedido por um cortejo que teve a participação das Juntas de Freguesia, cada uma com um carro alegórico representando uma ave que serve de “emblema”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close