Ministro da Economia diz que o projecto do Hotel Turismo da Guarda não está encalhado

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, disse esta manhã, em Almeida, que o projecto de requalificação do Hotel Turismo da Guarda não está encalhado e que «está a ser remodelado de acordo com os calendários previstos». «Como sabem, existe sempre uma fase de execução de projecto de revitalização. Não pode haver obra antes do projecto ser executado e antes de ele ser licenciado e, portanto, neste contexto, os calendários estão a ser respeitados», afirmou, em declarações ao TB à margem da cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação para o projecto integrado – Reabilitação e Revitalização da zona de fronteira de Vilar Formoso.
«Queria deixar absolutamente claro que vamos continuar a assegurar que a concretização deste projecto ocorre em qualquer caso», assegurou o ministro, salientando que «o Governo, as instituições públicas dispõem de todas as ferramentas para assegurar a concretização desse objectivo».
O ministro também disse que está a par das tentativas que o consórcio está a fazer para encontrar um parceiro para os restantes 49 por cento do edifício do hotel, uma vez que o que foi acordado foi construir uma unidade hoteleira em apenas 51 por cento do imóvel.
Questionado sobre o facto de a M.R.G Construction S.A., uma das empresas do Grupo Manuel Rodrigues Gouveia, a quem o Governo concessionou a revitalização do hotel, estar com dificuldades financeiras e ter entregue no Tribunal de Seia um Processo Especial de Revitalização, o ministro Adjunto e da Economia afirmou que «o Governo dispõe de todas as ferramentas para actuar» para garantir a recuperação daquela unidade hoteleira.
Na Guarda, o governante adiantou que o projecto de recuperação e de exploração do Hotel de Turismo «não é posto em causa» e que nesta altura o Governo não tem «razão para preocupação». O ministro falava aos jornalistas após o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, ter dito, no seu discurso, que antes da cerimónia teve uma reunião com o concessionário do Hotel de Turismo e com um grupo financeiro sobre o ponto de situação do projecto de recuperação do imóvel.
O autarca disse esperar que «possam estar resolvidas algumas das dificuldades» e que o grupo que tem a concessão para o projecto de recuperação do Hotel de Turismo «o possa fazer no mais curto espaço de tempo».
O contrato de concessão de recuperação do Hotel de Turismo da Guarda ao grupo MRG foi assinado no passado dia 4 de Maio, estimando-se um investimento total de cerca de sete milhões de euros, informou a Secretaria de Estado do Turismo.
A concessão é feita por 50 anos, no âmbito do programa Revive, e estima-se que o investimento total para a recuperação do edificado seja de cerca de sete milhões de euros. O consórcio compromete-se a construir uma unidade hoteleira neste imóvel que ocupe cerca de metade da área bruta de construção, estando previsto um «boutique hotel, de quatro estrelas, ligado ao tema da neve, com 50 quartos e com outras valências como spa (que estará acessível igualmente aos residentes no município) e restaurante», recordou, recentemente numa nota à imprensa, o gabinete da Secretária de Estado do Turismo.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close