Motivação é «uma das principais razões» para a sobrevivência do Centro Cultural de Famalicão

Gente com «motivação para ajudar» na organização das actividades e «a manter» os grupos em actividade é apontada por Alexandre Horta como «uma das principais razões» para a sobrevivência do Centro Cultural de Famalicão da Serra, que este ano comemora o 30º aniversário. Os apoios financeiros têm sido igualmente fundamentais para a viabilidade da associação recreativa e cultural daquela aldeia do concelho da Guarda, oficialmente criada a 5 de Março de 1991, nomeadamente da «Junta de Freguesia» local e da «Câmara da Guarda», bem como outras entidades, «como o Ministério da Cultura». «Isto tem acontecido», afirma o presidente, Alexandre Horta, mas «nunca são os suficientes». «Nunca conseguimos ter dinheiro suficiente para fazer tudo o que pretendemos, ou o que queremos, e cumprir com o calendário», concretiza, constatando no entanto ser «verdade que temos conseguido manter a actividade». «Damo-nos por satisfeitos por ao longo de 30 anos mantermos a associação com bastante actividade», acrescenta o dirigente.

O último ano tem sido excepção devido à situação pandémica. «Verdadeiramente esse tem sido o mais recente entrave para que consigamos organizar e fazer actividades. Nós desde Março do ano passado que não temos feito praticamente nada», lamenta Alexandre Horta, reforçando que «a pandemia tem sido um entrave muito grande para apresentar actividades, para organizar actividades e manter a actividade dos grupos» que pertencem à associação, designadamente a Fanfarra NemFaNemFum, grupo de concertinas Os Foligaitos e Grupo de Cantares Cantarinhas de Famalicão da Serra, que «têm estado parados» desde então.

«Estamos neste momento a retomar os ensaios», adianta Alexandre Horta, que se confessa preocupado com a viabilidade dos projectos no pós-pandemia. «Poderá ser um problema gravíssimo», antevê, desejando que «as pessoas apareçam e que voltem novamente, que tenham muita vontade em regressar, em fazer acontecer as coisas». Notícia completa na edição desta semana do Jornal Terras da Beira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close