Movimento “Manteigas 2030” volta a vencer as autárquicas na Freguesia de Santa Maria (Manteigas) mas continua sem maioria no executivo da Junta e o PS ultrapassou o PSD

A lista liderada por José Manuel Carvalho (movimento “Manteigas 2030”) repetiu o resultado de Setembro do ano passado, ganhando as eleições intercalares realizadas este Domingo na Freguesia de Santa Maria (Manteigas), conseguindo 322 votos e quatro mandatos. De acordo com os resultados provisórios avançados ao TB por uma fonte ligado ao processo eleitoral, a lista do PS, que agora teve como número um Rui de Carvalho, ultrapassou o PSD e obteve 200 votos e três mandatos. A lista dos social-democratas, que era novamente encabeçada por Pedro Tiago Figueiredo, desceu para terceiro, conseguindo 194 votos e dois mandatos.

Falta agora saber se haverá ou não condições para que José Manuel Carvalho possa constituir o executivo, apenas com os elementos do movimento “Manteigas 2030” ou se haverá acordo com uma das duas forças políticas.

Nas autárquicas de Setembro 2021, o movimento independente “Manteigas 2030” ganhou as eleições naquela freguesia com 382 votos (40,13%, quatro mandatos), o PPD/PSD obteve 265 votos (27,84%, três mandatos) e o PS registou 260 votos (27,31%, dois mandatos).

Após as eleições, a Assembleia de Freguesia só funcionou uma vez e o executivo não chegou a ser constituído, porque o PSD e o PS apresentaram uma proposta única para ocuparem os lugares de secretário e de tesoureiro. «Eu entendi que não era assim, porque o presidente era o único [da lista vencedora] que ficava [no executivo] e ficava na mão deles [dos elementos da oposição] e não era possível trabalhar numa situação destas», explicou José Manuel Carvalho, que renunciou ao mandato de presidente da Junta de Freguesia.

Em comunicado, os socialistas referiram na altura que o presidente da Junta ainda chegou a admitir que um dos elementos da Junta fosse do PS mas entenderam não aceitar a proposta por considerarem que, «atendendo aos resultados, o mais sensato seria eleger um elemento de cada uma das três forças políticas», uma vez que «só assim se poderia apaziguar alguma tensão criada com a campanha eleitoral e conseguir a harmonia desejável na Assembleia de Freguesia». O PS chega mesmo a recordar que a solução que preconizou foi a mesma que resultou há alguns anos atrás, em 2013, na Freguesia de São Pedro, em que «o PS venceu as eleições, sem maioria e governou quatro anos com um membro de cada uma das outras forças políticas [PSD e movimento independente “São Pedro Sempre”]» e que nas eleições seguintes viria a obter«um larga maioria absoluta».

Pelo lado do PSD, Nuno Soares, que liderou a candidatura social-democrata à Câmara de Manteigas, responsabiliza José Manuel Carvalho e os restantes elementos da lista do movimento independente pelo impasse criado durante cerca de nove meses porque «não tiveram o engenho e arte de corresponder às expectativas e às necessidades da Freguesia de Santa Maria».

No caso que aconteceu no início deste ano na Freguesia de Santa Maria, ainda chegaram a ser pedidos vários pareceres, mas a situação não foi ultrapassada e os eleitos pelo movimento “Manteigas 2030” renunciaram aos cargos e provocaram eleições antecipadas.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close