Município de Trancoso com orçamento de 18,1 milhões de euros

A Câmara de Trancoso tem para este ano um orçamento no valor de 18,1 milhões de euros, que regista uma subida em relação ao de 2022 e que é considerado de «continuidade e de progresso» pelo presidente do município. «O documento foi elaborado em tempos difíceis, de grande imprevisibilidade e de grande incerteza, devido à guerra na Ucrânia, à inflação e à crise energética, mas tem a marca de rigor, de responsabilidade, de contenção, de continuidade e de progresso», disse à agência Lusa o presidente da autarquia.

Segundo Amílcar Salvador (PS), o orçamento camarário para 2023 permite que a autarquia continue «a honrar os compromissos financeiros». O município pretende «resolver definitivamente o problema» da dívida existente com a Parceria Público-Privada, na qual participa por intermédio da empresa municipal TEGEC, em 49%, e «as coisas estão bem encaminhadas» nesse sentido. «É um orçamento que procura dar respostas reais às necessidades das famílias, dos jovens e das empresas», e contém três eixos fundamentais: bem-estar social, economia e cultura.

O município mantém este ano políticas fiscais «amigas dos munícipes», com a manutenção da taxa mínima de IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis), a redução da mesma taxa em função do número de dependentes do agregado familiar e prescinde da totalidade do valor do IRS (05%).

Segundo o autarca, o orçamento, que permite concluir várias obras e projectos que estão a decorrer, regista um aumento de 1,6 milhões de euros relativamente ao de 2022 (que foi no valor de 16,5 milhões de euros), basicamente pela transferência de competências na área da educação.

Este ano, Amílcar Salvador espera concluir as obras de requalificação do castelo de Trancoso e da intervenção na Igreja de Santa Marinha e na zona envolvente da necrópole de Moreira de Rei, a requalificarão da Estação de Tratamento de Águas Residuais de Vila Franca das Naves, a Incubadora de Empresas (no antigo edifício da GNR) e a ligação do Posto de Turismo ao castelo com um piso que permite a acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida.

Quanto a obras novas, o orçamento municipal contempla a requalificação do edifício dos Paços do Concelho, uma obra «muito necessária, atendendo à degradação», que está na fase final de adjudicação, com um investimento de 1,2 milhões de euros, bem como a requalificação de uma zona industrial e do Largo do Mercado em Vila Franca das Naves.

O município também vai requalificar o parque escolar concelhio, com o apoio da administração central, sobretudo a Escola EB 2 e 3 de Trancoso, a Escola EB 1,2 e 3 de Vila Franca das Naves e a Escola Secundária de Trancoso. Estão, ainda, previstas intervenções na rede viária, a requalificação de várias estações de Tratamento de Águas Residuais e obras ao nível do abastecimento de água às populações.

A autarquia liderada pelo socialista Amílcar Salvador pretende continuar a apoiar os agricultores (fileiras da castanha e pecuária), as Juntas de Freguesia e as associações (grupos desportivos, associações, Bombeiros Voluntários e Instituições Particulares de Solidariedade Social).

Outra aposta vai para os eventos culturais como a recriação da Batalha de Trancoso e a Festa da História/Bodas Reais e para a realização de feiras e certames, com particular destaque para a Feira de São Bartolomeu, a realizar em Agosto, que este ano assinala 750 anos.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close