Natal nas alturas – sugestões de passeios

As tradições e a identidade dos 15 territórios que compõem a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) não são esquecidas durante as festividades natalícias. «Acima de tudo, pretende-se que o Natal na Serra da Estrela seja vivido com intensidade, segurança e magia e que seja tão natural quanto possível» refere a CIM-BSE em nota à imprensa, sublinhando que não obstante a actual situação pandémica, existe um esforço de levar luz, animação e conforto emocional às populações locais e aos turistas que se desloquem à Serra nesta altura do ano».

«Não irá faltar a neve, o conforto da lareira, os produtos tradicionais, as tradições seculares, a identidade de cada território, os produtos únicos que não podem deixar de marcar presença numa casa portuguesa, como o Queijo Serra da Estrela DOP, os azeites de montanha, o burel, a doçaria tradicional, o mel, os frutos secos, o pão, os melhores vinhos do território», destaca.

O mote é «aproveitar esta quadra natalícia para regressar e conhecer as gentes genuínas, a sua cultura, os seus spas, os hotéis e os espaços de turismo rural e ecológico». «Saboreie o melhor da gastronomia e as histórias que passam de geração em geração. Passeie pela natureza, respire o ar fresco da serra e sinta as fragâncias da vegetação natural e os aromas que escapam de cada casa, de cada aldeia, de cada forno comunitário», convida a Comunidade Intermunicipal.

Sobre as tradições natalícias, nota que cada um «tem uma história por trás», e na serra da Estrela «não vai querer perder uma vírgula de nenhuma delas». E aconselha um percurso: «Comece por Seia e encontre uma Aldeia de Cabeça cheia de brilho e cor. Nesta altura, as casas pitorescas de xisto vestem-se a rigor para o Natal e para receber todos os curiosos. Sempre ao som das músicas tradicionais desta quadra.

Continue a sua viagem pela Guarda. Parta à descoberta da Aldeia Viçosa e saboreie uma tradição que remonta ao século XVII: o Magusto da Velha. Os vinhos e as castanhas são reis e rainhas nesta quadra e coroam o paladar de quem os visita. Na Guarda, durante esta altura, nasce uma cidade Natal iluminada com várias atividades para pequenos e graúdos. Por fim, não termine a sua visita sem conhecer o maior presépio natural do país. Descubra-o no Sabugal. Inúmeras figuras e cenários pensados ao pormenor, exposições, iluminações e decorações naturais».

Há, no entanto, outros motivos que justificam uma visita a este território já que são «muitos os espaços que no passado acolheram a história e a cultura». Casos de «as aldeias dos municípios do Fundão e da Covilhã ostentam o xisto nas paredes até aos dias de hoje. Celorico da Beira, Seia e Trancoso receberam o Solar do Queijo da Serra da Estrela, o Museu do Pão e o Museu do Azeite, respectivamente». «Percorra vários traços que se interlaçam na cultura beirã através do Museu dos Lanifícios, do Burel Factory e Ecolã de Manteigas e do Circuito de Arte Urbana do Fundão. Viaje pela história das Beiras e Serra da Estrela. Embarque no Museu Militar de Almeida. Continue a jornada pelo Museu dos Descobrimentos de Belmonte e pelo Museu da Guarda.

Descubra a Arte Sacra de Fornos de Algodres, as Muralhas de Pinhel e uma colecção de automóveis em miniatura estacionada no Museu de Gouveia. Explore os castelos e as casas brasonadas de Mêda e Figueira de Castelo Rodrigo», destaca a CIM-BSE completando que «aqui a história é contada e a cultura é exibida no estado mais puro».

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close