Nova direcção da ABG quer dinamizar modalidade e captar mais clubes

A nova direcção da Associação de Basque-tebol da Guarda (ABG), liderada por Miguel Espírito Santo, quer dinamizar a modalidade no distrito e convencer os clubes que já tiveram basquetebol a regres-sarem à competição. Os novos órgãos sociais deverão tomar posse ainda este mês e outro objectivo é reorganizar e dotar a associação de novos regulamentos estatutários, uma vez que não sofrem alte-rações desde a fundação.

Faustino Caldeira
fcaldeira@gmpress.pt
Miguel Espírito Santo é o novo presidente da Associação de Bas-quetebol da Guarda (ABG) e quer dar à modalidade uma outra visibilidade a nível do distrito. Aumentar o número de clubes é uma prioridade, uma vez que no distrito existem apenas 6 clubes federados: Celorico Basket, Club Camões de Gouveia, Guarda Basket, NDS e Núcleo Sportinguista da Guarda.
O dirigente referiu, em declarações a este semanário, que abraçou este desafio a pedido de várias pessoas e que pretende trazer novas ideias à associação, entre elas promover a modalidade.
Convencer os clubes que já tiveram basquetebol a apostarem novamente na modalidade pode ser o primeiro passo para aumentar o número de filiados. «Gostaria que aparecessem equipas em vários concelhos e um dos trabalhos é procurar que a modalidade esteja presente em mais concelhos do distrito. É normal que na Guarda, por ser a capital do distrito, haja mais clubes porque há outro potencial mas os restantes concelhos também têm capacidades e qualidade para terem clubes e atletas», disse.
Durante várias épocas, o Grupo Desportivo das Lameirinhas e equipas dos concelhos de Trancoso, Pinhel, Seia, Figueira de Castelo Rodrigo, Manteigas, Sabugal e Foz Côa tiveram equipas de basquetebol, mas actualmente o número de clubes ficou restrito aos 5 já referenciados e não há equipas femininas.
Miguel Espírito Santo e a restante direcção, que deverá tomar posse ainda este mês, pretende “bater a todas as portas” para aumentar o número de equipas para poder organizar competições em vários escalões. «Teremos que ir a todas as entidades para ver se alguma porta se abre. O país sofreu uma crise e algumas equipas deixaram de ter a modalidade, mas é possível melhorar e há que criar alternativas para os jovens», frisou, adiantando ainda que «se o número de equipas aumentar, há mais escalões, mais campeonatos e competição».
Atrair mais público e adeptos aos jogos é também uma das prioridades. O dirigente sublinhou que «é preciso cativar as pessoas. A maioria dos jogos são nos escalões de formação e é fundamental captar os pais e encarregados de educação porque também através deles aparecem mais pessoas e possíveis atletas».
No que diz respeito aos apoios, Miguel Espírito Santo entende que «a comunidade pode gerar algum apoio para a associação e para o clube».
Reorganizar e dotar a associação de novos regulamentos estatutários, uma vez que não sofrem alterações desde a fundação (finais da década de 80), é também uma prioridade, bem como colocar a associação nas redes sociais.
Os novos órgãos sociais deverão tomar posse ainda este mês (em data a designar). Para além de Miguel Espírito Santo, estão na direcção Albino Bárbara e Luís Silva, como vice-presidentes. António Peres preside a Assembleia-geral e Vítor Figueiredo lidera o Conselho Fiscal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close