Novo presidente da administração da ULS/Guarda diz que «neste momento o foco é a pandemia»

O novo presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, João Barranca, diz que «neste momento o foco é a pandemia». O engenheiro e gestor, que assumiu o cargo esta Segunda-feira, disse aos jornalistas que «as matérias que transitaram do anterior Conselho de Administração vão ser todas priorizadas e resolvidas o mais depressa possível», mas que neste momento «a atenção e o esforço terá de ser para a pandemia». João Barranca sublinhou que no actual contexto «o esforço não pode ser apenas dos profissionais de saúde, mas da sociedade em geral».

Em relação à resposta que a ULS vai dar na actual fase da pandemia e se será para dar continuidade ao grupo de trabalho existente, João Barranca diz estar «analisar» o assunto. E aponta que existe um plano do anterior Conselho de Administração para esta fase pandémica com 4 níveis de intervenção «que está a ser seguido». «Esse plano está sujeito a uma melhoria contínua. Todo o hospital segue esse plano».

Sobre os assuntos que transitaram do anterior Conselho de Administração, João Barranca sustenta que são «matérias muito importantes» e que «algumas estão a ser acompanhadas», como é o caso do processo das obras do pavilhão 5. «Mas neste momento não é o nosso foco! Neste momento o foco é a pandemia. Temos de nos focar no que é realmente é urgente», reforçou. O gestor garante que são projectos que «vão ser realizados» e até porque o anterior Conselho de Administração «já tinha o aval» e a nova equipa vai «dar continuidade ao trabalho».

João Barranca, que vem de Coimbra, quer «tentar dotar o hospital de melhores condições para responder às solicitações diárias da sociedade». «As pessoas merecem um hospital em que tenham confiança e saibam que vão ser atendidas, que o seu problema vai ser resolvido. Esse é nosso foco, responder a essas solicitações. Há diversas dificuldades que têm de ser ultrapassadas», sublinhou.

O sucessor da médica Isabel Coelho na liderança do conselho de administração considera que a ULS da Guarda tem «coisas boas e coisas más» como em qualquer instituição e que as más «terão de ser limadas e melhoradas».

Ao segundo dia no cargo, João Barranca começou a visitar o hospital e a «sentir o pulsar» da instituição. Entende que o facto de existir uma separação entre os edifícios «é uma grande dificuldade até para a comunicação». O gestor defende uma aposta «na melhoria que são os canais de comunicação» para ter uma «comunicação forte». Defende que «o novo edifício faz inveja a maior parte senão a todos os hospitais nacionais» porque tem «umas condições fantásticas».

Como o TB já tinha noticiado, a equipa liderada por João Barranca é constituída por Nélia Faria, que foi reconduzida no cargo de enfermeira-directora; Fátima Cabral, que reassume o cargo de directora clínica; e José Monteiro que se mantém como vogal, uma vez que foi reconduzido pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela. O médico António Luís Serra, que dirigia a Unidade de Cuidados de Saúde Primários do Sabugal, fica à frente dos cuidados de saúde primários e António Monteirinho, líder da Concelhia do PS/Guarda, passar a exercer as funções de vogal executivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *