Novo presidente da Câmara do Sabugal (PSD) quer projectar território “a nível interno e externo”

O presidente eleito da Câmara do Sabugal, Vítor Proença (PSD), pretende trabalhar para “projectar o território a nível interno e externo”. Vítor Proença, que sucede ao autarca do PSD António Robalo, que não se recandidatou por ter atingido o limite de três mandatos seguidos, reagiu hoje com satisfação à sua eleição para a liderança do município do Sabugal, situado junto da fronteira com Espanha, no distrito da Guarda.

“Estou muito satisfeito pela confiança que os sabugalenses depositaram na minha pessoa e no PSD. Era uma vitória que já se esperava, pelo trabalho que temos feito em prol das pessoas, [e] sempre, sempre com as pessoas, e merecemos, novamente, a confiança dos sabugalenses”, disse hoje o novo autarca à agência Lusa.

O presidente eleito do município do Sabugal, que até agora desempenhava o cargo de vice-presidente, espera “estar à altura” do desafio, admitindo que terá pela frente “quatro anos com muita dificuldade”.

“Os tempos não são fáceis, mas a equipa que constituí dá-me garantias (..) de fazer um bom trabalho e de acorrer àquilo que são os problemas das pessoas (…) e projetar o território a nível interno e externo, na divulgação daquilo que são os nossos produtos endógenos, naquilo que é o nosso turismo, naquilo que é o nosso património”, declarou.

Em relação às prioridades para o concelho, Vítor Proença apontou “uma medida que é necessária” e “que foi muito falada” na campanha eleitoral, relacionada com a instalação de fibra ótica no território.

“[A medida] tenho-a no meu programa eleitoral. Embora não seja uma competência da Câmara, é uma competência do Governo, que deve negociar com as operadoras. Nós, não estivemos à espera e temos algumas medidas nesse âmbito”, justificou.

Na opinião do autarca eleito, só com instalação de fibra ótica será possível “atrair gente para o território”, em teletrabalho, como aconteceu desde o início da pandemia.

“Se nós não conseguirmos isso, não criamos atratividade para o território, não trazemos gente para o território. E a gente que trouxermos para o território, embora não seja gente que se fixe cá, é uma gente que dinamiza a economia local e que está aqui um, dois, três meses. Esse é um grande desafio que temos”, disse.

Segundo Vítor Proença, o município vai implementar, até ao final do ano, “em 27 localidades, 27 centros de teletrabalho em ‘coworking’, devidamente equipados”.

A Câmara Municipal do Sabugal vai instalar fibra ótica nesses locais e suportar os custos para que “quem queira vir em teletrabalho” para o concelho, possa fazê-lo nesses locais “com toda a comodidade e com acesso de banda larga e com condições”.

“Nós não conseguimos atrair gente de outra forma. Temos que atrair gente que venha para aqui em teletrabalho, que seja de cá ou não. Para mim, é uma medida estrutural e que pode ser altamente benéfica para o concelho”, rematou.

Segundo os dados do Ministério da Administração Interna, nas eleições de domingo, a candidatura do PSD liderada por Vítor Proença obteve 47,09% dos votos (quatro mandatos), a do PS 40,22% (três mandatos), a do CDS-PP (4,14%), a do Chega 2,85% e a candidatura do PCP/PEV 1,54% dos votos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close