Onze patos apareceram mortos no lago do Parque Municipal da Guarda

Avolumam-se as reacções à morte de onze patos, seis dos quais ainda pequenos, no lago do Parque Municipal da Guarda. Nas redes sociais são muitas as pessoas que exigem uma explicação para o que aconteceu na noite de Sexta-feira e madrugada de Sábado. A zona do lago também foi aproveitada para deixar expresso o sentimento de revolta.
Como o “Terras da Beira” (TB)noticiou na edição online e no facebook, surgiram na manhã do passado Sábado, dentro do lago, onze patos mortos, apontando-se como provável ter havido um ataque de cães vadios, que, uma vez que o espaço estava sem água por, no dia anterior, ter havido uma limpeza do lago, não terão tido dificuldades em aceder ao local.
As autoridades viriam a ser alertadas por uma das trabalhadoras do “call center” Randstad, situado no pavilhão do Parque Municipal, cerca do meio-dia de Sábado, tendo a PSP se deslocado ao local, tendo ficado a aguardar a chegada do veterinário para resolver a situação.
O TB contactou na passada Segunda-feira o vereador responsável pelo pelouro do Ambiente, Sérgio Costa, mas escusou-se a prestar declarações sobre o caso. Na tarde do dia seguinte, a autarquia emitiu um comunicado lamentando «profundamente» a morte dos patos e a «reafirmar o firme propósito de continuar as averiguações tendo em vista o apuramento dos factos e de eventuais responsabilidades».
«O médico veterinário municipal concluiu hoje [Terça-feira] um exame pericial com necropsia, tendo o mesmo observado e concluído que as aves apresentavam sinais evidentes de agressão em várias partes dos corpos. Algumas apresentavam decapitação, evisceração e feridas diversas, concluindo no seu relatório que as lesões apresentadas são compatíveis com ataque de predadores, nomeadamente cães, gatos ou raposas que provavelmente terão atacado e morto as referidas aves», refere ainda o comunicado da autarquia.
Nas redes sociais, alguns dos relatos mais emotivos sobre este caso são da autoria de Sandra Dias Cabral, que em diversas mensagens foi dando conta que os patos lhe davam algum alento nos dias em que ía trabalhar. «Fantástico!!? Logo de manhã, deparei-me com a creche a desejar-me bom dia e bom trabalho! Nao podia ser melhor!? Embora o lago precise limpo!», escreveu em Junho no seu facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close