Paulo Fernandes já não é treinador da Guarda Desportiva

Paulo Fernandes já não é treinador da Guarda Desportiva. O técnico não aguentou os maus resultados e acabou, de acordo com a direcção do clube, por ser demitido. Em seis jogos, Paulo Fernandes obteve um empate e cinco derrotas consecutivas, resultados que levaram a equipa para o último lugar da Série B do Campeonato de Portugal. A saída do técnico estava eminente, não só pelos resultados obtidos mas pela insatisfação sentida pelos adeptos.

Paulo Fernandes garante que pediu para sair por «não concordar com a forma como o clube está a ser gerido», apontando também várias falhas à direcção, como «alimentação deficitária e servida a más horas, água fria para banhos, falta de luz frequente, salários em atraso e inexistência de qualquer membro da direcção do clube ao longo da semana».

Paulo Fernandes desabafou que o «outro motivo foi a agressão à massagista. O clube ficou em silêncio e obrigou o grupo de trabalho a não se pronunciar sobre o assunto». «Foram muitas as razões que me levaram a apresentar o pedido de demissão e não saio da casa enquanto não me pagarem os salários».

A direcção da Guarda Desportiva não vai emitir qualquer comunicado oficial mas informou que remeteu o assunto para o departamento jurídico. O clube refuta qualquer tipo de acusações e ainda espera pela documentação do treinador, uma vez que Paulo Fernandes não está inscrito na Federação Portuguesa de Futebol por falta de credencial ou renovação da cédula. Notícia completa na edição desta semana do Jornal Terras da Beira.

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close