Pedro Narciso é candidato do CDS à Câmara da Guarda

Pedro Narciso é o candidato do CDS à Câmara da Guarda. A informação foi dada hoje pelo partido numa nota à comunicação social. Há quatro anos, o enfermeiro, natural e residente na Guarda, concorreu como independente à Junta de Freguesia da Guarda pela coligação CDS/MPT/PPM, denominada “Guarda em Primeiro”. Pedro Narciso foi um dos rostos mais visíveis do movimento contra o abate de árvores no Parque Municipal e na Avenida Cidade de Salamanca.

O candidato promete trabalhar e contribuir para inverter «a perda populacional e a perda de emprego» no concelho. Pedro Narciso disse à agência Lusa que aceitou o desafio para ser o cabeça-de-lista do CDS-PP após perceber que dois dos candidatos já conhecidos representam um modelo de desenvolvimento de continuidade dos últimos oitos anos, que não será «aquele que a Guarda quer». «Foi aquele que foi imposto por aquele que foi o presidente da Câmara da Guarda durante seis anos, Álvaro Amaro, e que deixou o rumo da Câmara para rumar a Bruxelas. No fundo, quem está neste momento ao comando da Câmara e quem também almeja lá chegar, são dois elementos que estiveram presentes e que, bem ou mal, nunca manifestaram esse objecto de querer estar noutro rumo. Foram elementos chave da governação de Álvaro Amaro», justificou.

O responsável também lembra que a candidatura do CDS-PP surgiu porque «não houve espaço» para uma coligação entre o CDS-PP e o PSD. A candidatura foi agora anunciada, «já com o comboio a andar», mas Pedro Narciso diz que o partido vai ter que «o agarrar» e procurar ultrapassar os resultados das eleições de 2017.

«Acreditamos que as pessoas que há quatro anos acreditaram que pudesse haver outro rumo para o nosso concelho, aliadas a outras que nestes quatro anos tenham ficado defraudadas com essa escolha, possam então escolher o nosso projecto e que pudéssemos ter um conjunto significativo [de votos] acima dos 8%», disse.

Em relação a projectos, o candidato do CDS-PP declarou que ainda não é o momento de os referir, pois «ainda é um pouco cedo», mas mostra-se preocupado com «a perda populacional e a perda de emprego». «Ainda que a retórica oficial não seja essa, é muito preocupante, e acho que nos devia colocar num alerta vermelho demográfico e de emprego», sublinhou. Pedro Narciso disse que o «vector fundamental» da candidatura estará relacionado com a apresentação de medidas para fixar pessoas e emprego no território, bem como tema da saúde, desde logo pelo recente anúncio de um reduzido número de vagas de médicos para a Unidade Local de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close