Peritos sugerem instalação de serviços de Medicina Nuclear em Viseu e na Cova da Beira

A proposta de Rede de Referenciação de Medicina Nuclear, em consulta pública até ao final do mês, defende que deverá existir um serviço de Medicina Nuclear em Viseu e outro no Centro Hospitalar da Cova da Beira. A ideia vai de encontro às pretensões do Fundão que tem reclamado a instalação de um serviço daquele género no hospital daquela cidade, que integra o Centro Hospitalar da Cova da Beira. De acordo com o organigrama apresentado no documento em consulta pública, este novo serviço da Beira Interior deverá receber doentes referenciados pelas unidades locais de saúde da Guarda e de Castelo Branco. O Centro Hospitalar da Cova da Beira encaminhará os doentes para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra onde já existe um serviço de Medicina Nuclear.
Os serviços de Medicina Nuclear funcionam sob a responsabilidade de um médico especialista em Medicina Nuclear. Entre os recursos humanos terá também de haver físicos médicos, que são hoje um grupo profissional internacionalmente reconhecido como parte fundamental das equipas multidisciplinares de profissionais de saúde que atuam na garantia da qualidade e segurança dos procedimentos de diagnóstico e terapêutica nas áreas da Radioterapia, Imagiologia e Medicina Nuclear. É obrigatória ainda a colaboração de um farmacêutico nas instalações «para desenvolver preparações complexas na área da radiofarmácia» bem como a existência de técnicos de diagnóstico de medicina nuclear, de radiologia e de radioterapia.
Recorde-se que o Fundão reclama há anos a instalação de um serviço de Medicina Nuclear. A pretensão voltou a ser reiterada depois do Governo ter anunciado recentemente a intenção de criar na região um serviço de Radioterapia para serviços os distritos de Viseu, Guarda e Castelo Branco. Fundão aproveitou a deixa para evidenciar que o serviço de Medicina Nuclear que reclama pode englobar a valência agora anunciada pelo Governo.
Após o anúncio do Governo, em Viseu foi lançada de imediato uma petição pública solicitando ao Ministério da Saúde «a instalação urgente da unidade de Radioterapia no Centro Hospital Tondela Viseu, serviço necessário e imprescindível para dar resposta às necessidades dos doentes, com a qualidade necessária e conforme se exige a uma Unidade com a classificação e a diferenciação técnica do Centro Hospitalar Tondela Viseu». Na Assembleia Municipal de Viseu também foi aprovada uma moção defendendo a instalação da Radioterapia no Hospital de S. Teotónio em Viseu.
O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, anunciou no início do ano, precisamente em Viseu que o Governo pretende tomar rapidamente uma decisão sobre a instalação de um serviço de radioterapia para servir os distritos da Guarda, Viseu e Castelo Branco. «O Governo irá rapidamente analisar os estudos já disponíveis sobre esta matéria, alguns deles contraditórios, numa perspectiva não local, mas regional, que envolverá toda a Beira Interior e o conjunto de sub-regiões», afirmou Manuel Delgado, durante a sessão evocativa do Dia do Centro Hospitalar Tondela/Viseu e do seu padroeiro, São Teotónio.
A nova versão da Rede de Referenciação de Radioterapia (Radioncologia) foi aprovada em Novembro do ano passado ainda pelo anterior secretário de Estado, sem apontar a instalação de novos serviços nesta região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close