Pinhel assinala aniversário com Concerto Sinfónico

As comemorações dos 250 anos da elevação de Pinhel à categoria de cidade, que se assinalam esta Sexta-feira, aliam-se às comemorações dos 250 anos do nascimento de Ludwig van Beethoven (1770-1827), «um dos maiores compositores da História da Música», com um Concerto Sinfónico dedicado à 9ª Sinfonia, a última sinfonia completa composta pelo compositor alemão.
O espectáculo, marcado para as 21h00 no Centro Logístico de Pinhel, está a cargo da Orquestra Filarmónica Portuguesa (OFP) e do Coro de Câmara Filarmónico de Berlim. A direcção está a cargo do maestro Osvaldo Ferreira, fundador com Augusto Trindade da OFP.
Desde a sua fundação, em Maio de 2016, a O Orquestra, refere o município de Pinhel em nota à imprensa, «rapidamente captou a atenção do meio musical e artístico português, sendo já amplamente reconhecida, pelo público e pela crítica, como uma das melhores orquestras sinfónicas nacionais».
«O elevado padrão de exigência impresso desde a sua génese, levam-na a integrar um
conjunto de músicos de elevado nível técnico e artístico, como sejam instrumentistas
premiados em concursos nacionais e internacionais, ex-integrantes da Orquestra Jovem da União Europeia e músicos estrangeiros residentes em Portugal. Ao juntarem-se a este projecto diferenciador e inovador, estes músicos contribuíram para a criação de uma orquestra que é já, hoje, uma referência e um símbolo de qualidade», lê-se.
Sobre o Coro de Câmara Filarmónico de Berlim, a nota evidencia que se tem posicionado, «desde a sua fundação, como um dos mais extraordinários coros desta cidade alemã». «Os seus membros são ambiciosos e jovens estudantes de canto, oriundos de todas as regiões da Alemanha, e que combinam o seu amor pela música coral ao mais alto nível numa interpretação inspiradora e significativa», descreve, acrescentando que «a experiência dos profissionais, em paralelo com o entusiasmo frenético dos leigos, resulta numa mistura empolgante, na qual todos são estimulados a darem o seu melhor contributo – todos são importantes, activos e dão forma à música. E assim, as obras dos séculos XVII, XVIII, XIX ou XX soam sempre actuais e vivas». «Os programas variados são complementados por obras-primas populares e peças charmosas, quase desconhecidas, apresentando-as numa visão nova e fresca», conclui a nota à imprensa. A iniciativa, destaca, «surge também como manifestação de apoio do Município de Pinhel à candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close