Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Seia com investimento de 10,1 ME

A Câmara Municipal de Seia anunciou que no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) estão previstos investimentos no valor de 10,1 milhões de euros que prometem «revolucionar» aquela cidade da Serra da Estrela.
A autarquia presidida por Carlos Filipe Camelo (PS) refere em comunicado que, na sequência da candidatura formalizada ao Programa Operacional da Região Centro, o município «irá receber mais de oito milhões de euros no âmbito do novo quadro comunitário de apoio Portugal 2020 para diversas obras e investimentos a concretizar no concelho e que correspondem a um valor global de 10.172.352,94 euros». «As verbas destinam-se a financiar um conjunto de iniciativas que prometem revolucionar a cidade nas componentes da mobilidade urbana sustentável, regeneração urbana e da inclusão das comunidades desfavorecidas, prosseguindo uma estratégia de competitividade, emprego, inovação, sustentabilidade e inclusão social», indica.
Segundo a nota, as estratégias do denominado “PEDU SEIA 2020” assentam no desenvolvimento de três grandes linhas orientadoras e estratégicas: Porta da Estrela, os caminhos da vila e reabilitação de edifícios públicos/criação de mercados para o desenvolvimento económico.
Na estratégia “SEIA – Porta da Estrela», o município indica que aquela cidade é «indubitavelmente a principal “porta” e uma referência privilegiada de acesso à Serra da Estrela». Por isso, o PEDU preconiza o desenvolvimento de uma área que vai desde o recinto da feira ao Bairro de Nossa Senhora do Rosário.
Trata-se de um projecto que prevê a instalação de uma plataforma urbana e de mobilidade designada “HubPorta da Estrela”, que fará o «interface de intermodalidade entre os vários modos de transporte da cidade, transporte público, transporte individual e deslocações em modos suaves (pé, bicicleta)». «Também se pretende o desenvolvimento de um espaço público de qualidade para os residentes e visitantes e que compreende a criação de uma praça multiusos, um jardim intergeracional e um percurso botânico», revela o município.
No eixo “SEIA – Os caminhos da vila”, a intervenção a realizar propõe «um aproveitamento e requalificação das vias e infraestruturas existentes, ligando as várias áreas da cidade geradoras de movimentos pendulares mais intensos (centro histórico, áreas residenciais, escolares, serviços públicos)».
A terceira linha orientadora – “SEIA – Reabilitação de edifícios públicos/criação de mercados para o desenvolvimento económico” -, prevê a reabilitação do mercado, a requalificação da área da feira, a criação de residências temáticas (por exemplo de artistas e investigadores), entre outros projectos.
O PEDU de Seia abrange um total 25 intervenções, a realizar entre 2016-2018 e 2019-2023, sendo que o primeiro grande desafio, segundo a autarquia, é no final de 2018 ter conseguido executar «metade do quadro global de investimento previsto».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close