Politécnico da Guarda quer Pousada da Juventude a alojar estudantes

O presidente do Instituto Politécnico da Guarda (IPG), Joaquim Brigas, enviou uma proposta ao Governo a propor a adaptação da Pousada da Juventude local a residência de estudantes. O IPG refere em comunicado que Joaquim Brigas enviou hoje a proposta aos secretários de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira.

O presidente do IPG propõe «a adaptação da Pousada da Juventude da Guarda para residência de estudantes do IPG ao abrigo do Plano Nacional de Alojamento para o Ensino Superior, anunciado pelo Governo». Segundo a fonte, a falta de alojamento para estudantes «é um dos principais obstáculos ao aumento de alunos do ensino superior na Guarda». Para colmatar o problema, o presidente do IPG enviou aos secretários de Estado da Juventude e do Ensino Superior uma proposta com algumas contrapartidas.

Caso a Pousada da Juventude entre no plano de alojamento para o ensino superior, o IPG compromete-se a «disponibilizar quatro quartos dessa residência para jovens turistas ao longo de todo o ano» e a disponibilizar, durante as férias do Verão, »a totalidade dos 16 quartos» para jovens que visitem a cidade. Durante as férias de Verão, o presidente do IPG também promete «disponibilizar pelo menos mais 20 quartos das residências de estudantes do IPG para os jovens turistas, mais do que duplicando desta forma a capacidade máxima potencial da Pousada da Juventude da Guarda quando esta funcionava».

Integrar no IPG eventuais trabalhadores que estejam adstritos à Pousada e alojar na futura residência professores e estudantes ao abrigo do Erasmus+ e de outros programas de mobilidade, bem como dar aos hóspedes acesso às suas cantinas e a uma grande sala de estudos multimédia a criar no edifício, são outros dos propósitos. «Com esta proposta, temos dois objectivos: aumentar o número de alunos do IPG, combatendo o problema do alojamento de estudantes que querem vir estudar para cá e que não têm onde morar; e atrair mais jovens para a cidade durante as férias», afirma Joaquim Brigas, citado no comunicado.

Segundo o presidente do IPG, «a falta de alojamento para estudantes é um dos principais impedimentos à entrada de mais alunos no Politécnico da Guarda, senão mesmo o maior».  Na carta, recorda que todos os anos em Portugal «mais de 60% dos jovens que concluem o ensino secundário ficam fora do Ensino Superior». «Este problema nacional é, sobretudo, sentido nos territórios do interior do país: todos os anos perdemos uma geração de jovens para o ensino superior, mantendo desta forma um défice enorme nas qualificações dos portugueses», escreve.

Segundo o comunicado, Joaquim Brigas não entende a oposição do presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, que foi tornada pública em reuniões da Assembleia Municipal, à transformação da Pousada da Juventude em residência estudantil. «Não se compreende o adiar da resolução do problema da Pousada da Juventude, que está fechada há sete anos, tal como não se compreende a oposição a criar uma nova residência de estudantes no centro da cidade, perto das cantinas e das outras residências do IPG, colmatando desta forma a débil rede de transportes públicos urbanos», justifica o presidente do IPG.

Comentar

. logged in para comentar.

Artigos relacionados

SiteLock

Voltar para o topo

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close