Pousada de Juventude deverá passar a ser gerida pela Câmara da Guarda

SONY DSC

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, confirmou no passado Sábado que a Pousada de Juventude da Guarda é para reabrir, o mais depressa possível, sob a gestão da Câmara Municipal, no âmbito de uma parceria com a cooperativa Movijovem (que gere a rede de pousadas). Foi durante o “Fórum AFIRMA TE”, organizado pela Federação Distrital da Guarda da Juventude Socialista (FDGJS), que decorreu no auditório da Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), na Guarda, que o governante se pronunciou sobre o futuro daquele espaço, tendo o líder da FDGJS, Fábio Pinto, se congratulado com a decisão.
«Hoje recebemos uma grande novidade, a solução pela qual a nossa estrutura já vinha lutando nos últimos anos e que é muito importante para os jovens do nosso distrito. Onde o anterior governo escolheu a inércia como solução, o actual governo prioriza uma solução que vai de encontro à necessidade dos nossos jovens», afirmou Fábio Pinto.
De recordar que o anúncio da solução encontrada para o edifício do IPDJ já tinha sido anteriormente feito pelo presidente da Câmara da Guarda, Álvaro Amaro, durante a Assembleia Municipal Jovem, que marcou as comemorações do 25 de Abril. O autarca disse na altura que a Câmara estava em «em fase final de negociação com o Governo para o Município passar a ser o gestor» de todo o edifício do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), incluindo a parte da Pousada de Juventude, encerrada desde 2012.
O ano passado, o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, disse, no decorrer do encontro que manteve com as associações juvenis do distrito, que até ao final de 2016 deveria haver uma solução para a reabertura da Pousada de Juventude, assim como a revitalização do espaço do IPDJ, mas o que é certo é que nunca mais se soube nada das negociações que estavam a decorrer entre a autarquia, Governo e Federação Nacional das Associação Juvenis.
No passado dia 25 de Abril, Álvaro Amaro anunciou então que tudo se encaminhava para que o Município ficasse a gerir aquele espaço, que, adiantou, deverá ser transformado em “Centro de Juventude”.
A falta de condições dos edifícios foi o argumento apresentado, em 2012 pelo governo de então, para fechar as pousadas de juventude da Guarda, Vila Real, Leiria, Portalegre e Setúbal. O então presidente da comissão liquidatária da Movijovem, João Bibe, garantiu que o critério financeiro não foi o mais importante na decisão de encerramento.
O edifício onde está a Pousada de Juventude da Guarda, que engloba também a Loja Ponto Já do IPDJ, foi inaugurado no dia 15 de Dezembro de 1990 por Couto dos Santos, então ministro Adjunto e da Juventude. O espaço dispõe de 16 quartos com capacidade total de 52 camas. As condições daquela pousada foram consideradas insuficientes.
Em Outubro de 2014, o então secretário de Estado afirmou que cima da mesa estavam várias hipóteses como a adaptação do edifício para a esquadra da PSP, a instalação da Loja do Cidadão ou até mesmo a reabertura da Pousada da Juventude.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close