Presidente da Câmara da Guarda pede fecho das escolas do concelho

SONY DSC

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro, pediu ao Governo que encerre “já” as escolas do concelho, atendendo ao “pico elevado de contágios” por covid-19.

Segundo o autarca social-democrata, no município da Guarda estão actualmente “doze turmas em isolamento profiláctico, de todos os níveis escolares, desde o 1.º ciclo do ensino básico ao secundário”, o que corresponde a mais de 200 alunos.

“As escolas ainda continuam abertas, porque ainda há alunos a receber aulas, embora uma parte deles esteja em isolamento profilático”, disse Carlos Chaves Monteiro à agência Lusa.

O autarca da Guarda apela ao Governo “que encerre já as escolas” porque o concelho assiste a “uma onda crescente de casos e de contágios” por covid-19.

“Essa é a solução mais adequada face à evolução da pandemia no concelho e no país”, acrescenta o responsável, que defende a suspensão imediata das atividades lectivas e a “recalendarização do ano escolar”.

“O ano escolar termina em meados de junho mas, interrompendo já as aulas, quando a evolução fosse positiva, poderíamos retomá-lo e estendê-lo até ao dia 31 de julho”, sugere.

Carlos Chaves Monteiro considera que o Governo deve “interromper já, no imediato,” as atividades letivas nas escolas do concelho “para interromper os contágios” pelo novo coronavírus.

O município da Guarda também iniciou Quarta-feira testes à covid-19 “a todos os funcionários adstritos às escolas de 1.º Ciclo do Ensino Básico, Jardins-de-infância e Centros de Apoio à Família” do concelho.

“Ao todo, serão perto de duas centenas de funcionários que deverão ser testados durante os próximos dias, incluindo os 16 motoristas e os cinco vigilantes da Câmara que efectuam diariamente o transporte de crianças no concelho da Guarda”, refere a autarquia em comunicado.

A fonte refere que a acção é desenvolvida “no âmbito das medidas de prevenção e protecção da epidemia SARS-CoV-2 que o município da Guarda tem vindo a implementar desde o início da actual pandemia, para protecção dos mais frágeis, nomeadamente da comunidade escolar”.

“Consciente das dificuldades acarretadas pelos planos de contingência quer a nível individual quer a nível colectivo, a Câmara da Guarda quer continuar a estar na linha da frente na protecção na comunidade”, remata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close