Prisão preventiva para cinco dos 16 detidos por suspeitas de tráfico de droga

Cinco dos 16 elementos do grupo detido pela Polícia Judiciária (PJ) da Guarda por suspeita de tráfico de droga ficaram em prisão preventiva. Os restantes indivíduos ficam sujeitos a apresentações periódicas. O caso envolve um total de 24 pessoas que foram investigadas desde Agosto do ano passado, entre as quais um advogado da Guarda, que alegadamente daria boleia aos presumíveis traficantes que não tinham carta de condução recebendo em troca droga.
Em comunicado, a PJ informou que o grupo é suspeito de proceder à venda de forma organizada de elevadas quantidades de produtos estupefacientes em várias escolas dos concelhos de Guarda e Manteigas. A polícia adianta que, para além das detenções, foram também realizadas cerca de trinta buscas domiciliárias, nos concelhos da Guarda, Ovar, Pinhel e Manteigas, e apreendido pólen de haxixe em quantidade suficiente para a preparação mínima aproximada de quatro mil e quinhentas doses individuais, aproximadamente oitocentos euros em numerário, uma arma de fogo tipo carabina, várias munições próprias para a mesma arma, moinhos, balanças de precisão e vários outros objetos habitualmente associados à actividade de tráfico de estupefacientes.
«O grupo de traficantes agora neutralizado, essencialmente radicado na cidade da Guarda, possuía um vincado núcleo central suspeitos, também referenciados por protagonizarem esporádicas acções de violenta agressão física, o qual se socorria de uma vasta rede de jovens distribuidores de produtos estupefacientes em várias escolas do distrito da Guarda, mas também noutros locais públicos de convívio e reunião social», refere ainda o comunicado.
Os detidos, com idades compreendidas entre os 16 e os 36 anos, quase todos sem qualquer profissão conhecida, para além de alguns estudantes de idade mais jovem, vão, entretanto, ser presentes às competentes autoridades judiciárias, para efeitos de primeiro interrogatório judicial e eventual submissão a adequadas medidas de coação.
Na execução das várias diligências policiais em referência, o Departamento de Investigação Criminal da Guarda da Polícia Judiciária contou com a colaboração de vários elementos do Comando Distrital da Guarda da PSP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close