Projeto de criação artística anima aldeia do concelho de Seia durante quatro dias

A aldeia de Frádigas, no concelho de Seia, recebe de Sexta a Segunda-feira um projecto de criação artística de dois músicos que irá animar a povoação e envolver a comunidade. Intitulado “à escuta: CATÁLOGO POÉTICO”, o projecto é desenvolvido por Joana Sá (pianista e compositora) e Luís J. Martins (guitarrista e compositor), na aldeia de Frádigas, na freguesia de Vide, Seia, num processo que envolve a comunidade local e de trabalho colaborativo com vários parceiros.

A iniciativa, que visa criar um catálogo poético de instalações/performances interdisciplinares (musicais, sonoras, arquitectónicas e visuais) na aldeia e na sua envolvente, abre-se ao público e convida «à escuta e à exploração» da localidade e do Parque Natural da Serra da Estrela. A organização refere em comunicado que os quatro dias de apresentações públicas «irão proporcionar diferentes experiências do território, através de um conjunto de instalações e performances concebido e desenvolvido pelos músicos Joana Sá e Luís J. Martins e o coletivo/’workshop’ de arquitectura e construção em madeira Camposaz».

Um novo percurso na envolvente da aldeia de Frádigas, desenvolvido com o Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE), será inaugurado no evento e poderá ser experienciado através de passeios interpretativos realizados pelo CISE e pelo Geopark Estrela. «Como experiência complementar, um painel interpretativo será criado e colocado pelo Geopark Estrela e poderá ser consultado pelos visitantes», acrescenta.

De acordo com a nota, ainda no contexto das apresentações públicas e passeios, os espectadores poderão visitar e usufruir de um mercadinho de produtores locais, organizado pelo Movimento Estrela Viva (MEV). No âmbito da mesma parceria, será lançado o projecto “Pontes para o Rio Alvoco”, com um encontro de associações locais, também promovido pelo MEV.

Por sua vez, a Rede das Aldeias de Montanha «irá propor um novo desafio à aldeia, numa sessão de co-criação que convida a reflectir e pensar o futuro do espaço da escola», refere ainda a nota à imprensa. Será também realizada uma “Assembleia: à escuta”, com parceiros colaboradores do projecto e a comunidade. «Partindo do processo de trabalho colaborativo e da experiência concreta do território, esta assembleia procurará reflectir sobre os problemas da desertificação, isolamento, incêndios florestais, alterações climáticas, etc.», é referido.

Ainda de acordo com o comunicado, para além de todas estas propostas, «uma publicação reunirá várias contribuições de parceiros, num outro catálogo poético, também a diversas vozes». «Tanto o formato do evento como o da publicação reflectem o carácter colaborativo e interdisciplinar do projecto. “à escuta: CATÁLOGO POÉTICO” será assim constituído por obras fragmentárias que se relacionam e ressoam entre si, mas que se encontram dispersas pela envolvente da aldeia, procurando captar à distância a escuta e o olhar atentos e curiosos do público», lê-se.

O projecto conta com apoios da Direcção-Geral das Artes e do Compete 2020 – Portugal 2020 – União Europeia (FEDER) e tem como parceiros o município de Seia, a candidatura Guarda 2027, o Conservatório de Música de Seia – Collegium Musicum e a EPSE- Escola Profissional da Serra da Estrela, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O website do Terras da Beira utiliza cookies para melhorar e personalizar a sua experiência de navegação. Ao continuar a navegar está a consentir a utilização de cookies Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close